Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Ásia fecha “mista” e Europa abre no vermelho

  • 333

Tóquio, Xangai e Seul fecharam esta terça-feira em terreno positivo, mas Taipé, Hong Kong e Sidney fecharam com perdas. Madrid e Amesterdão lideram quedas generalizadas na Europa na abertura. PSI 20 abriu a perder

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas da Ásia Pacífico fecharam a sessão de terça-feira numa situação “mista”, com os principais índices das Bolsas de Tóquio, Xangai, Shenzhen e Seul a fecharem em terreno positivo, em contraste com os índices das bolsas de Taipé, Hong Kong e Sidney. Os índices da bolsa de Mumbai estavam em terreno positivo.

A bolsa de Tóquio reabriu, depois de um feriado, e os índices Nikkei 225 e TOPIX fecharam com ganhos, avançando 0,23% e 0,17% respetivamente. Na China, os principais índices recuperaram na sessão da tarde e conseguiram fechar em terreno positivo, com o índice composto de Xangai a subir 0,16% e o CSI 300 (das 300 principais cotadas nas bolsas de Xangai e Shenzhen) a ficar ligeiramente acima da linha de água, com ganhos de 0,01%. O índice Kospi sul-coreano ganhou 0,63%. A liderar as quedas, o índice de Taipé que perdeu 1,01%. O Hang Seng, de Hong Kong, caiu 0,35%.

A Europa voltou a abrir esta terça-feira no vermelho. É a terceira sessão consecutiva em que as bolsas europeias registam perdas globalmente num contexto de perceção do aumento do risco terrorista. Refira-se que Bruxelas entra no quarto dia de alerta máximo, situação que foi prolongada ontem à noite por uma semana. O Departamento de Estado norte-americano emitiu na segunda-feira um alerta global para os cidadãos norte-americanos em relação a deslocações ao estrangeiro, citando ameaça terrorista crescente em "múltiplas regiões" do mundo. Na sexta-feira, o índice MSCI para a Europa perdeu 0,4% e ontem caiu 0,86%, a maior queda nas três principais regiões (Ásia Pacífico, Europa e EUA).

Na abertura, pelas 8h (hora de Portugal), as quedas eram lideradas pelos índices Ibex 35 de Madrid e Aex de Amesterdão. O Eurostoxx 50, das 50 principais cotadas da zona euro, abriu a cair mais de 0,7%. O índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, perdia 0,19%. A trajetória na Europa é de agravamento das perdas. Em Londres, o FTSE 100 abriu a cair mais de 0,4%, numa manhã em que foi divulgada uma sondagem da ORB que apontava para uma vitória do não à presença do Reino Unido na União Europeia (UE). A “Brexit” (saída da Grã-Bretanha da UE) recolhia 52% das intenções de voto se se realizasse um referendo, mais 7 pontos percentuais do que na sondagem anterior.

Os futuros em Wall Street abriram a sessão europeia em terreno negativo.

A nível das matérias-primas, o índice Bloomberg fechou a sessão asiática desta terça-feira com um ganho de 0,23%. Na abertura da sessão europeia, os metais e o crude (Brent e variedade norte-americana WTI) registavam subidas superiores a 1% nos preços. O barril de Brent, depois de ter caído para 43,63 dólares durante a sessão do dia 23 de novembro e fechado em alta, prosseguia hoje a trajetória ascendente, registando 45,29 dólares pelas 8h (hora de Portugal).