Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Euro 2016. Arestalfer marca presença com Estádio de Bordéus

  • 333

A metalúrgica Arestalfer, de Sever do Vouga, forneceu e instalou estruturas metálicas para o estádio de Bordeús e tem em França o seu principal mercado

A industria portuguesa do metal estará representada no Europeu de Futebol de 2016, em França, através da Arestalfer, de Sever do Vouga. O Stade de Bordeaux, a nova casa do clube local, contou com a participação da Arestalfer que fabricou e instalou uma parte da estrutura metálica (1100 toneladas) e foi responsável pelas empreitadas de serralharia da obra, em especial a montagem das guardas de proteção de todas as bancadas e das entradas.

Com capacidade para 42 mil espetadores, o novo estádio do receberá cinco partidas do Euro 2016 e custou 180 milhões de euros. Deste valor, coube à Arestalfer uma fatia de 2,3 milhões.

As regiões de Bordeús e Paris tornaram-se nos principais destinos da Arestalfer que no último biénio faturou 23 milhões de euros em França. Neste momento, conta com uma carteira de 10 milhões - 80 por cento está em França, com 15 obras em curso.

Além de edifícios de habitação e escritórios, as principais empreitadas decorrem no centro de investigação da Michelin, em Clermont-Ferrand e na Gare de Belcier, a estação de comboios de Bordéus. Os principais clientes “são conglomerados da construção como a Fayat, Vinci ou a Bouygues que reconhecem as vantagens competitivas das nossas soluções em obras de grande exigência arquitetónica”, diz ao Expresso Manuel Martins, o fundador e presidente da Arestalfer.

O industrial explica a vocação francesa “por ser o país que mais acarinha as novas tendências da arquitetura que integram cada vez mais elementos metálicos nos edifícios”. A obra da Gare de Belcier (1,5 milhões de euros) "é um bom exemplo de uma obra com materiais nobres e soluções muito inovadoras", refere Manuel Martins.

Ponte em Madagascar

A ligação da Arestalfer aos oprincipais multnacinais francesas da construção impulsionam as encomendas para outras geografias, como sucede com o mais recente contrato (700 mil euros). O cliente é francês mas a estrutura metálica que fabricará destina-se a uma ponte no Madagascar.

A Arestalfer foi fundada há 33 anos a partir de uma pequena serralharia e transitaria depois para o universo da Martifer, dos irmãos Carlos e Jorge Martins. Mas, o fundador, por coincidência de apelido também Martins, recompraria em 2011 a participação de 75% que alienara à Martifer. A fábrica de Server do Vouga emprega 110 trabalhadores.

A Arestlafer é um dos exeemplos da pujança exportadora da indústria de construção metálica portuguesa que representa 16 mil empregos e faturou 1500 milhões de euros em 2014.