Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas da Ásia fecham em alta

  • 333

A divulgação das atas da última reunião do banco central norte-americano dissipou incerteza e a resposta francesa ao terrorismo mitigou o risco. Bolsa de Sidney liderou as subidas a Oriente

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas na Ásia e Pacífico fecharam esta quinta-feira com ganhos, com destaque para Sidney que liderou as subidas com o índice ASX 200 a registar uma subida de 2,13%. Depois de uma quarta-feira no vermelho, com o índice MSCI para a região a perder 0,27%, os investidores no Oriente reagiram positivamente à divulgação em Washington das atas da última reunião da Reserva Federal norte-americana (Fed) e à resposta francesa ao terrorismo.

A principal bolsa asiática, Tóquio, fechou com o índice Nikkei 225 a ganhar 1,07% e com o índice TOPIX a subir 0,87%. Na China, o índice composto de Xangai subiu 1,36%, o índice CSI 300 (das 300 principais cotadas nas bolsas de Xangai e Shenzhen) avançou 1,6% e o índice A50 registou ganhos de 0,98%. Em Seul, o índice KOSPI subiu 1,33% e em Taipé, o índice de Taiwan registou ganhos de 1,64%. O índice Hang Seng registava ganhos acima de 1% e o BSE Sensex de Mumbai também.

Os analistas na Ásia sublinham que o conteúdo das atas da Fed dissipou a incerteza sobre a próxima reunião dos banqueiros centrais norte-americanos a 16 de dezembro e as operações antiterroristas em França e a anunciada aliança entre franceses e russos no terreno de operações contra o designado Estado Islâmico mitigaram o risco político.

O Banco do Japão realizou a sua reunião mensal tendo decidido não mexer na política monetária.

O fecho na Ásia sucede a ganhos nas bolsas de Nova Iorque no dia anterior, com o índice MSCI para os Estados Unidos a registar uma subida significativa de 1,62%.

Os futuros na Europa e em Wall Street estavam em terreno positivo. A sessão na Europa será marcada pelo divulgação das atas da reunião de politica monetária de outubro do Banco Central Europeu.

  • A divulgação das atas da reunião de outubro do banco central norte-americano animou a ponta final da sessão bolsista em Nova Iorque e salvou o dia à escala mundial. Probabilidade de subida das taxas de juro em dezembro continua elevada, mas “opções” mantêm-se em aberto, e o processo será “gradual” com os juros a ficar abaixo do que seria “normal”

  • Segundo as atas da reunião de outubro da Reserva Federal norte-americana divulgadas esta quarta-feira, uma "maioria" dos participantes no comité de política monetária antecipou que as condições para uma subida das taxas de juro poderão estar reunidas daqui a um mês. Mas as opções continuam em aberto