Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Presidente do Santander quer um Governo “forte e estável”

  • 333

José Carlos Carvalho

Vieira Monteiro, um dos sete banqueiros que Cavaco Silva ouve esta quarta-feira em Belém, quer estabilidade política para Portugal poder atrair “cada vez mais investimento estrangeiro

O presidente do Santander Totta, Vieira Monteiro, defendeu à saída da audiência com o Presidente da República que Portugal precisa de um Governo "forte e estável" e que cumpra as suas "obrigações internacionais".

Vieira Monteiro está em linha com as declarações feitas pelos anteriores banqueiros, que apelam à estabilidade politica e económica. E sublinha que só desta forma Portugal "poderá continuar toda a política de reformas e poderá vir a ter cada vez mais investimento estrangeiro que tão necessário é ao país".

O presidente do Santander Totta acrescentou ainda ter transmitido a Cavaco Silva que considera fundamental "a justiça social para o desenvolvimento do país", tal como a diminuição do desemprego.

Da parte da tarde, por volta das 15h, Cavaco Silva recebe o presidente da CGD, José de Matos, o presidente do Montepio, José Félix Morgado e por último Fernando Faria de Oliveira, o presidente da Associação Portuguesa de Bancos. A cada um está reservada uma hora de audiência.

Vieira Monteiro não esteve presente no almoço no Ritz com o líder do PS, António Costa e Mário Centeno, coordenador do programa económico dos socialistas, como noticiou o Expresso, mas fez-se representar pelo administrador executivo, José Carlos Sítima, por se encontrar fora de Lisboa. Os restantes presidentes que almoçaram com Costa e Centeno foram os presidentes da CGD (José de Matos), do BCP, (Nuno Amado), do BPI (Fernando Ulrich) e do Novo Banco (Eduardo Stock da Cunha). No almoço com Costa e Centeno também esteve Fernando Faria de Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB).