Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Fernando Pinto exalta privatização da TAP. “Vocês todos são heróis"

  • 333

Fernando Pinto é o segundo melhor classificado em Portugal no que toca à presença e influência digital dos executivos das principais empresas do país

David Clifford

“Pessoal, [esse é] um dia importantíssimo para a TAP”. Fernando Pinto defende a privatização da companhia ao falar aos seus trabalhadores. “Vocês todos são heróis”

“Pessoal, [esse é] um dia importantíssimo para a TAP. Tenho a certeza de que para todos, devo dizer que para mim especialmente. Esse era o grande sonho da maioria de todos os nós.” Foi assim que Fernando Pinto iniciou a sua apresentação aos trabalhadores da TAP, esta sexta feira. A apresentação ocorreu no refeitório da sede da empresa, em Lisboa, no dia seguinte à privatização da empresa.

“Vivemos esses 15 anos sem capital. O nosso crescimento foi paulatino, passo a passo, sempre pedindo à banca. Mas o dinheiro da banca é muito caro", disse Fernando Pinto, presidente da empresa, que se focou no efeito negativo produzido pelas greves, desde logo em 2014.

“2014 foi infelizmente muito mau”, afirmou, referindo que a partir de meados desse ano a empresa entrou numa situação muito difícil. As greves, insistiu, prejudicaram a empresa. "Pior, o cliente foi embora".

Em 2015, o problema foi o Brasil: a crise obrigou a baixar preços, tendo a TAP chegado a baixar os preços dos bilhetes para metade.

"Vocês são todos heróis"

"Foi um milagre aquilo que vocês conseguiram", disse Fernando Pinto aos trabalhadores. O presidente da empresa explicou que os problemas de tesouraria foram graves e confirmou que já em outubro foi difícil pagar salários. No mês de novembro seria ainda mais difícil, reconheceu. Daí a importância da privatização.

O presidente da TAP pediu até uma estátua para a responsável pelas finanças da empresa, por ter conseguido pagar sempre os salários da empresa sem falhar uma única vez.

Esta é a primeira vez que Fernando Pinto fala aos trabalhadores depois da privatização. A sua intervenção foi a inicial da tarde, antes de os novos donos falarem. Elogiando Humberto Pedrosa como o maior investidor português no sector dos transportes, Fernando Pinto multiplicou os elogios a David Neeleman, sublinhando o seu "lado humano".

"Por isso vos digo, até com alguma emoção, que é uma nova era que começa". "Esse enorme legado que está aí é obra de todos nós".