Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsa regressa às quedas

  • 333

O índice PSI-20 seguia positivo mas inverteu e segue em leve queda, num dia positivo para as bolsas europeias. Os juros da dívida soberana descem

A Bolsa portuguesa inverteu para terreno negativo e segue em queda ligeira numa altura em que as pares europeias sobem mas aliviam dos máximos do dia.

"A Bolsa recuperou com base no sentimento europeu. Mas mantém-se a incerteza política e os juros da dívida soberana, apesar de estarem hoje a aliviar das quedas anteriores, continuam mais altos do que no início de outubro", diz Albino Oliveira, analista da Patris.

Ontem, o governo de centro-direita foi derrubado no Parlamento. O Partido Socialista assinou um acordo com os partidos de esquerda para viabilizar um governo alternativo. A decisão está agora nas mãos do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

O índice PSI-20 cai 0,38% (15H20) enquanto o índice europeu FTSEurofirst 300 soma 0,53%.

Em Lisboa, as empresa do setor da energia lideram nas descidas. A EDP é mesmo o título que mais cai, com uma descida de 2,86% para 3,157 euros.

Na banca, o BPI perde 0,77% enquanto o BCP ganha 0,21%.

"As empresas de energia e a banca são vistas como as que podem ser mais afetadas pelo futuro governo", diz o mesmo analista.

Em Wall Street, a abertura foi em alta ligeira. Os investidores antecipam mais medidas de estímulo na China na sequência da divulgação de novos dados macroeconómicos preocupantes. Ainda assim, o mercado prepara-se para uma subida das taxas de juro nos Estados Unidos em dezembro.

Os juros da dívida dos países da zona euro recuam hoje ajudados por expetativas de mais medidas de estímulo por parte do Banco Central Europeu em dezembro.

Os juros da dívida soberana portuguesa a 10 anos recuam depois de terem alcançado um máximo de quatro meses na última segunda-feira.

"Apesar da queda dos juros, o prémio de risco continua num nível mais elevado. O diferencial face à dívida a 10 anos italiana é de 110 pontos base, quanto era de 60 pb em outubro. Face à dívida espanhola, a diferença é de 92 pb quando no início de outubro era de 50 pb", aponta Albino Oliveira.