Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Preços dos combustíveis sobem na próxima semana

  • 333

Na próxima semana, os postos de abastecimento que ainda vendem gasóleo abaixo de 1 euro, deverão ultrapassar esta fasquia. Contas feitas pelo Expresso, indicam que os aumentos médios serão de 1,5 cêntimos por litro no gasóleo e 2,5 cêntimos na gasolina

Na próxima segunda-feira os preços da gasolina e do gasóleo estarão mais caros, respetivamente, 2,5 e 1,5 cêntimos, segundo contas do Expresso ajustadas às previsões confirmadas por duas grandes petrolíferas que operam no mercado português.

Uma das principais razões para este aumento está na desvalorização do euro face ao dólar que hoje, sexta feira, caiu 0,09%, para 1,0872 dólares, segundo dados Reuters. No espaço de uma semana, o euro desvalorizou 1,2% face ao dólar, segundo os registos da Reuters.

Como a cotação internacional dos índices Platts para a tonelada métrica da gasolina e do gasóleo também registaram ao longo da semana (de segunda a quinta feira) um aumento dos preços em dólares, o valor em euros terá o duplo aumento do agravamento das cotações dos índices Platts e da desvalorização do euro face ao dólar.

Esta semana a evolução em alta da cotação dos refinados do petróleo não foi favorável à manutenção dos preços praticados no mercado português, pelo que é inevitável que subam os valores em dólares do gasóleo e da gasolina.

Desta forma, no mercado português, os postos de linha branca - os "low cost" - que ainda vendem esta semana gasóleo abaixo de 1 euro por litro, na próxima segunda-feira já vão estar acima desta fasquia.

Não é fácil explicar à generalidade dos consumidores a evolução que o mercado dos combustíveis seguiu esta semana, porque as reservas oficiais de petróleo nos EUA aumentaram, o que é sempre relevante para o mercado internacional dos combustíveis.

O aumento das reservas dos EUA acabaram por forçar a queda das cotações internacionais, com o petróleo Brent do Mar do Norte - a principal referência para a Europa - a registar uma quebra dos 49,52 para os 48,29 dólares por barril, segundo as cotações oficiais em Londres.

No entanto, o comportamento dos refinados - cuja referência são os índices internacionais do Platts (que não são abertos ao público, sendo acessíveis apenas às petrolíteras que pagam a subscrição desta informação) - seguiu uma tendência altista, com os preços a subirem precionados pela procura. Assim, o preço médio da tonelada métrica do gasóleo subiu 5% e o da gasolina aumentou 7,5% em dólares.

Acontece que esta semana a presidente da Reserva Federal, Janet Yellen deu indicação que estava na altura dos EUA subirem as taxas de juro, levando a cotação do euro a cair face ao dólar, o que tornou ainda mais caros os preços da gasolina e do gasóleo em euros, com aumentos de cerca de 8% e 6%, respetivamente.

Neste enquadramento, quem for atestar o depósito na segunda-feira pode contar, pelo menos, com aumentos de 2,5 cêntimos no preço da gasolina e de 1,5 cêntimos no gasóleo (embora ligeiramente inferior ao aumento da gasolina), segundo admitem as petrolíferas contactadas pelo Expresso. No entanto, os valores calculados pelo Expresso dão aumentos ligeiramente superiores.