Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Mota-Engil aumenta o capital a 2,48 euros por ação

  • 333

A construtora Mota-Engil aumenta o capital para financiar a retirada de bolsa da sucursal africana

A retirada da Mota-Engil África (MEA) de bolsa vai determinar um aumento de capital de 44,6 milhões de euros por parte da Mota-Engil. Os acionistas reúnem-se em assembleia geral a 30 e novembro e podem subscrever ações a 2,4814 euros cada uma. A cotação da empresa esta quinta-feira está nos 2,413 euros (-2,9%).

Num comunicado enviado à CMVM, a Mota-Engil SGPS detalha a anunciada decisão de aumentar o capital para financiar a compra das ações da subsidiária MEA do mercado, um ano após ter sido admitida na bolsa de Amesterdão.

A operação será repartida, contando com duas tranches. Aos atuais acionistas estão reservadas 22,7 milhões de novas acções, ao preço de 2,4814 euros cada uma.

A família Mota, através da Mota Gestão e Participações SGPS garante um máximo de 31,1 milhões de ações. Mas, a família Mota pagará estas ações “pela conversão do crédito que detém sobre a Mota-Engil correspondente às 12.604.119 acções da MEA que possui. A Mota-Engil paga 6,1235 euros na oferta lançada sobre as ações MEA.

O crédito da família Mota totaliza os 77,1 milhões de euros e decorre dos 13% que detém na MEA. A família comprometera-se a aplicar a receita no aumento de capital da Mota-Engil.

Segundo o comunicado, o lote reservado à família Mota não pode “exceder a diferença entre o total realizado na tranche dos acionistas e o montante total do aumento de capital”. O comunicado refere ainda que “caso a subscrição fique incompleta, o aumento ficará limitado às subscrições recolhidas”.

A Mota-Engil anunciara a 11 de outubro que decidira retirar a MEA da bolsa de Amesterdão por considerar que a cotação "deixara de representar o justo valor" da empresa.