Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Salgado triplica pensão para 90 mil euros por mês

  • 333

Rui Ochôa

Antigo líder do Banco Espírito Santo vai passar a receber uma pensão mensal de 90 mil euros, o triplo do que recebe hoje. Mais dez antigos gestores do grupo falido vão também ser beneficiados pela mesma medida

A notícia foi revelada pela TVI, esta noite às 20 horas. O pagamento é feito pelo fundo de pensões do banco.

Em causa está a anulação de uma decisão de Vítor Bento, tomada no ano passado, quando liderava o Novo Banco, o "banco bom" que resultou do colapso do Banco Espírito Santo. Na altura, Bento limitou as pensões de antigos gestores, o que fez com que Ricardo Salgado passasse a receber uma pensão mensal de 29 mil euros. Só que tudo mudou entretanto.

Um parecer do Instituto de Seguros de Portugal, que regula os fundos de pensões, citado pela TVI, diz não haver razão legal para o teto imposto por Vítor Bento. Daí resulta que não só todos os gestores têm direito a receber uma pensão mais elevada, como ainda receberão retroativos.

Só Ricardo Salgado recebe de retroativos cerca de um milhão de euros, diz ainda a TVI. E a partir deste mês receberá uma pensão de cerca de 90 mil euros por mês, o triplo dos 29 mil que recebia até aqui.

Além de Ricardo Salgado, há mais dez antigos gestores do BES beneficiados por esta decisão. A TVI cita os nomes de Rui Silveira, José Manuel Espírito Santo, João Freixa, António Souto e ainda a viúva de Mário Mosqueira do Amaral, acionista de referência do Grupo Espírito Santo entretanto falecido. Também José Maria Ricciardi receberá uma pensão nestes moldes quando se reformar. Todos estes gestores passam a receber uma pensão mensal que varia entre os 43 mil e os 90 mil euros, anota a estação.

O Grupo Espírito Santo colapsou em 2014, na sequência de um escândalo financeiro de dimensões internacionais que terminou com o fim do BES. Vários destes antigos gestores estão sob investigação das autoridades judiciais, foram alvos de buscas e constituídos arguidos.