Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Resultados da PT: “Vá lá rapazes, quem é que estão a tentar enganar?”

  • 333

James McKenzie, um analista da Fidentiis Equities, arrasa as contas da Portugal Telecom, colocando inclusive em causa a sua veracidade

"Vamos lá ver se entendi! De um modo geral, a PT era muito dura em relação aos custos e estes tipos vêm de França e cortam quase 80 milhões em custos em três meses. Vá lá rapazes, quem é que vocês estão a enganar?”

É assim que um analista da casa de investimento Fidentiis Equities, avalia os resultados divulgados pela Altice sobre a operação em Portugal. A subsidiária portuguesa da empresa francesa divulgou resultados do terceiro trimestre na semana passada. As receitas caíram 9,4%, com o negócio empresarial a descer 11% e o negócio móvel 9%. Mesmo assim foi possível, de acordo com os dados divulgados pela Altice, fazer crescer o EBITDA devido a uma forte redução dos custos operacionais - 87 milhões de euros.

E é exactamente neste ponto que começam as dúvidas do analista. Para James McKenzie, é difícil acreditar nestes números. Em causa está a veracidade de toda a informação divulgada, já que a Altice arranjou uma forma muito própria de divulgar os números da operação portuguesa. No email divulgado ao seus clientes, McKenzie diz que os resultados da PT são muito encorajadores para a NOS, porque os valores do EBITDA devem ser lidos "com uma pitada de sal" devido às notas às contas que foram divulgadas.

E se o tom da análise já era irónico, o mesmo torna-se cómico com as dúvidas levantas às notas divulgadas pela Altice. O analista conclui que o EBITDA divulgado pela empresa francesa não é calculado da mesma maneira que outros o fazem: "Ok, então o vosso EBITDA não é o mesmo que o EBITDA de outros – estranho, é só EBIT mais depreciações, não é? Mas por favor continuem".

As notas da Altice dizem que as contas divulgadas não estão de acordo com a IFRS, (normas internacionais de contabilidade) e que este EBITDA e outros indicadores não podem ser considerados para medir a performance financeira da PT. E vão ainda mais longe ao afirmar que "estas medidas podem ser definidas e calculadas de maneira diferente do que aquelas usadas por termos semelhantes".

Um esclarecimento que leva o analista a questionar "como é que nós vamos avaliar a companhia com estes dados? Vocês não explicam". Rematando com um expressivo "Whoah! Então a medida que vocês chamam de EBITDA é calculada de modo diferente da medida que vocês chamam de EBITDA."

O relatório da Altice chega mesmo a dizer que o EBITDA apresentado não foi auditado, o que leva James Mckenzie a perguntar como é que seria possível auditar um indicador que não está de acordo com qualquer sistema de contabilidade e que não é calculado da mesma maneira que os detentores da dívida da Altice fazem.

Para último, fica a pérola de toda a análise. Perante a nota da Altice, onde se pode ler que "a apresentação destas medidas não visa e nem está de acordo com os requerimentos de reporte exigidos pela US Securities Exchange Commission (SEC) e não vão ser revistas pela SEC; fazer frente a estes compromissos requeria fazer alterações à apresentação desta informação”, o analista da Fidentiis apenas diz: “Adorava ser uma mosca naquela reunião”.