Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Corticeira Amorim lucra mais 43%

  • 333

Vendas nos primeiros nove meses do ano somam 463 milhões de euros e deixam adivinhar mais um ano recorde para o grupo

A Corticeira Amorim fechou os primeiros nove meses do ano com um volume de negócios de 462,9 milhões de euros, uma subida de 7,7% face ao mesmo período de 2014 que deixa ao alcance do grupo liderado por António Rios Amorim a possibilidade de fechar 2015 com mais um recorde de vendas.

No período em análise, os lucros da Corticeira cresceram 43%, para os 41,6 milhões de euros.

Em comunicado, o grupo salienta que este resultado foi obtido com “uma performance positiva em todas as unidades de negócio” e explica que a sua atividade foi “positivamente impactada pelo efeito cambial, em especial do dólar”.

“O bom desempenho operacional permitiu que o EBITDA atingisse os 80,2 milhões de euros, face aos 66,1 milhões de euros do período homólogo, representando um rácio sobre as vendas de 17,3%. Expurgando o efeito cambial, o crescimento do EBITDA seria de 4%”, refere o grupo.

A unidade de negócios Matérias-Primas somou 101,7 milhões de euros (mais 3,3%), colocando mais de 95% deste valor noutras undiades da Corticeira, em especial na área das rolhas, que cresceu 9,4%, para vender mais de 300 milhões de euros. Descontado o efeito cambial, o crescimento seria de 5%, refere a direção da empresa.

Na unidade de negócios Revestimentos, apesar do terceiro trimestre ter conseguido inverter a tendência negativa do primeiro semestre do ano, as vendas acumuladas ainda apresentam um decréscimo de 4,9%, situando-se nos 84,5 milhões de euros.

Na unidade de negócios Aglomerados Compósitos, as vendas subiram 19,4%, para os 75,1 milhões de euros e na unidade de negócios Isolamentos, “a recuperar face à primeira metade do ano”, o valor das vendas ficou nos 7,6 milhões de euros, 0,6% abaixo dos primeiros nove meses de 2014.