Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Lisboa abre em queda entre indefinição política e Bolsas internacionais

  • 333

A Bolsa de Lisboa abriu esta quarta-feira em terreno negativo. Pelas 8h20, ao PSI20, principal índice da praça lisboeta, perdia 1,04%. LIsboa acompanha as perdas internacionais, mas analistas dizem que o mercado está também a ser penalizado pela indefinição política pós-legislativas

A Bolsa de Lisboa abriu esta quarta-feira no vermelho, com o PSI20, o principal índice da praça lisboeta, a cair 0,87%, para os 5.230,60 pontos. Pelas 8h20, as perdas estavam a agravar-se, com o índice a recuar 1,04%.

Para esta queda contribuiam os títulos da banca, com o BCP a recuar 3,11% e o BPI a perder 0,86%, mas também pesos-pesados da praça lisboeta, como a EDP e a Galp, que recuavam 1,55% e 1,66%, respetivamente.

LIsboa acompanha a tendência de perdas a nível internacional. Pelas 8h35, o índice europeu FTSE Eurofirst 300 recuava 1,1%.

A China é a grande responsável pelo sentimento pouco otimista nos mercados internacionais. Os dados da inflação mostram que há muita folga na segunda maior economia do mundo. Em setembro, os preços no consumidor naquele país subiram 1,6% em termos homólogos, um valor bem abaixo dos 2% registados em agosto, e aquém das expectativas dos analistas. As perspetivas dos especialistas são de arrefecimento da economia chinesa.

A abertura negativa desta quarta-feira acontece depois de na véspera o PSI-20 ter fechado a perder 1,38%, para os 5.276,33 pontos, acompanhando as quedas significativas registadas nos mercados europeus de referência. No resto da Europa, nas principais praças, as quedas variaram entre os -0,45% de Londres e os -1,41% de Madrid.

A Euronext Lisbon tem sido também penalizada pela situação de indefinição política que se vive no país, após as eleições de 4 de outubro, apontam os analistas. Esta terça-feira, a coligação Portugal à Frente e o PS reuniram-se, mas o encontro terminou sem qualquer progresso, segundo as palavras de Pedro Passos Coelho.