Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Milionário chinês que enriqueceu a vender flores de plástico compra parques eólicos em Portugal

  • 333

Empresário chinês Li Ka-Shing, que começou a vida a vender flores de plástico nos anos 50 e é o oitavo homem mais rico do mundo, segundo a revista Forbes, comprou por 1000 milhões de euros a Iberwind, o segundo maior operador de energia elólica em Portugal

João Talone, líder do fundo de investimento Magnum Capital, acabou de fazer um dos melhores negócios da sua vida: sete anos depois de ter comprado 65% da empresa de energias renováveis Iberwind, vendeu-a por 1000 milhões de euros ao grupo chinês Cheung Kong, liderado pelo oitavo homem mais rico do mundo, Li Ka-Shing.

Através das participadas Cheung Kong Infrastructure Holdings (CKI) e Power Assets Holdings Limited (PAH), o Grupo Cheung Kong passou a controlar a Iberwind, que gere 31 parques eólicos, com uma capacidade instalada global de 684MWs.

A Magnum Capital, de João Talone, levou sete anos a fazer crescer o segundo maior operador eólico de Portugal, que além dos 684MWs em operação ainda tem projetos eólicos de mais 42MWs em construção.

Durante a gestão da Magnum a capacidade instalada da Iberwind aumentou 41%, o que aguçou o apetite de grandes investidores internacionais, culminando na venda ao grupo de Li Ka-Shing, que foi quem pagou mais.

Agora a Iberwind é integrada no grupo chinês cuja capitalização bolsista agregada ascendia a 117,4 mil milhões de euros em 10 de Setembro de 2015. O grupo de Li Ka-Shing opera em mais de 50 países e emprega 290 mil trabalhadores.

João Talone prossegue a sua estratégia de criação de valor nos ativos comprados pelo fundo Magnum Capital, que criou em 2006 com Angel Corcostegui e Enrique de Leyva, aos quais se juntou posteriormente João Coelho Borges.