Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Deco volta a eleger Jumbo como o mais barato

  • 333

Um estudo da associação de defesa do consumidor concluiu que o Jumbo lidera a corrida com os preços mais baixos, mas “as lojas do Pingo Doce tentam não perder terreno”. Com preços 3% mais caros, o Continente ocupa o terceiro lugar

O Jumbo voltou a ser o supermercado mais barato em Portugal Continental e o Pingo Doce subiu à segunda posição, revelando um aumento da concorrência pelos preços baixos, segundo um estudo da Deco divulgado esta quarta-feira.

Segundo o estudo da associação de defesa do consumidor, "a concorrência está ao rubro" entre as diferentes cadeias de supermercados, referindo que o Jumbo lidera a corrida com os preços mais baixos, mas “as lojas do Pingo Doce tentam não perder terreno”.

Lisboa, Faro e Santarém são os distritos com a maior diferença de preços entre o estabelecimento mais barato e o mais caro, aproximando-se dos 20%. Em contrapartida, Guarda, Portalegre e Beja são os distritos com a menor diferença de preços, ou seja, onde o consumidor pode poupar menos.

O Continente Modelo ganhou na comparação de preços nos Açores e o Pingo Doce na Madeira, mas as diferenças de preços são “magras” nas ilhas, na casa dos 3%, segundo a Deco.

Entre março e julho, a associação recolheu 54.208 preços em 480 estabelecimentos, incluindo quatro lojas online, abrangendo 77 concelhos e compras na internet.

“No despique por cadeias para encher o carrinho com 83 produtos de marcas de fabricante mais vendidas, o Jumbo tomou de assalto a primeira posição no último estudo e continua a dominar nos subcabazes de mercearia, drogaria e frescos, mas o Pingo Doce melhorou o nível de preços e subiu uma posição no pódio", refere.

Com preços 3% mais caros, o Continente ocupa o terceiro lugar.

No cabaz combinado (marcas próprias e de fabricante), a liderança do Jumbo é ainda maior, com o Pingo Doce na segunda posição e a cadeia Continente no terceiro lugar.

Segundo a Deco, “uma simples mudança de hábitos, como trocar alguns produtos por outros equivalentes, mas das marcas mais baratas, pode representar uma poupança média de 24%”.

Além da escolha de marcas mais baratas, “em muitas cidades, basta atravessar a rua ou virar a esquina para poupar também centenas de euros”, referindo que a escolha acertada permite alcançar poupanças de 350 euros por ano.

A Deco atribuiu uma ponderação diferente a cada produto, consoante o peso no orçamento, tendo usado o mais recente estudo do Instituto Nacional de Estatística (2010).

As lojas que vendem os produtos mais consumidos com um preço inferior recebem uma classificação melhor.

Na página da Deco Proteste na internet, os consumidores podem fazer uma simulação por região e cabaz de compra para saber qual o supermercado mais barato.