Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Venda da Cabovisão e Oni à Apax levanta dúvidas

  • 333

A compra da Cabovisão e da Oni pela Apax está a levantar dúvidas aos analistas. O BBVA admite que poderá ter sido uma forma da ganhar tempo para as negociações com a Vodafone. A Fidentiis questiona o facto de o preço não ter sido revelado

A Altice veio anunciar ontem que tinha fechado o negócio da venda da Cabovisão e da Oni com a Apax France, mas não divulgou o preço da operação, o que seria natural tendo em conta que a empresa liderada por Patrick Drahi é cotada na Bolsa de Amesterdão. A Altice foi obrigada a vender as duas operadoras, na sequência da compra da PT Portugal, e o negócio tinha de estar concluído até esta terça-feira, dia 15 de setembro.

Hoje, no rescaldo da operação, o BBVA e a Fidentiis, vieram levantar dúvidas sobre o negócio. O valor do negócio não foi divulgado mas, segundo noticiou a Bloomberg, tinha como base de negociação 300 milhões de dólares (268 milhões de euros).

"A Altice vendeu a Cabovisão e a Oni à Apax France. A sério?", pergunta James Mckenzie, analista da Fidentiis. O comentário prossegue com o analista a questionar o facto de não ter sido divulgado o preço do negócio, uma operação que terá de ser avaliada pelas autoridades portuguesa e a Comissão Europeia."Ninguém acredita que seja possível isto ser uma transação séria", diz o analista. E considera estranho que uma empresa de capital de risco francesa, sem qualquer operação em Portugal que lhe garanta sinergias, tenha comprado a Cabovisão, um "negócio em declínio".

Já BBVA lembra que a Apax France foi parceira da Altice na Cabovisão em 2013 e admite que o acordo de venda pode ter sido uma maneira ganhar tempo nas negociações com a Vodafone.

A Apax França já tinha sido parceira da Altice quando comprou a Cabovisão em 2011 e vendeu a sua participação em 2012 ao grupo francês liderado por Pratrick Drahi.

A Apax France veio hoje dizer em comunicado que está "muito satisfeita por apoiar a Cabovisão e a Oni, duas companhias com muito potencial, numa altura em que a economia portuguesa está a mostrar sinergias tangíveis de recuperação".

Estiveram na corrida à Cabovisão e à Oni a Vodafone, a NOS, a Interoute e a StarTime.