Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Inflação não descola nos EUA e desce na Zona Euro em agosto

  • 333

A taxa de variação dos preços no consumidor nos Estados Unidos manteve-se em 0,2% e desceu para 0,1% na Zona Euro, segundo os dados divulgados esta quarta-feira para agosto

Jorge Nascimento Rodrigues

A inflação nos Estados Unidos não descolou em agosto. O índice de preços no consumidor na maior economia do mundo aumentou 0,2% em agosto em variação homóloga (em relação ao mesmo mês do ano passado), o mesmo valor que em julho, segundo dados divulgados esta quarta-feira, há poucos minutos, pelo Gabinete de Estatísticas do Trabalho dos EUA. A economia norte-americana saiu de um período de inflação negativa em maio de 2015, registando 0% de variação em maio, 0,1% em junho e 0,2% em julho e agosto. O índice de preços registou variações negativas em janeiro, março e abril deste ano.

Esta quarta-feira, de manhã (hora europeia), o Eurostat divulgou a inflação homóloga em agosto para a zona euro, corrigindo em baixa a estimativa preliminar anterior. A inflação na zona euro desceu para 0,1% em agosto, depois de ter registado 0,2% em junho e julho. A zona euro saiu de um ciclo de inflação negativa em abril de 2015, quando a variação do índice foi de 0%. A inflação manteve-se com taxas negativas de dezembro de 2014 a março de 2015.

A economista norte-americana de Harvard Carmen Reinhart, uma especialista em história económica, recordou, recentemente, que a taxa de inflação média nas economias desenvolvidas situava-se em julho em 0,2%, um mínimo histórico desde 1933. O quadro global nas principais economias desenvolvidas do mundo é de inflação muito baixa: 0,2% nos EUA; 0,1% na Zona Euro; 0,2% no Japão (varição do índice em julho; ainda não está disponível o valor de agosto); 0% no Reino Unido.

Refira-se que, de acordo com os dados mais recentes disponíveis, há 16 países da Europa com inflação negativa (entre as principais economias da zona euro, Espanha registou uma inflação negativa de -0,4% em agosto) e que três economias desenvolvidas no Médio Oriente e Ásia registam taxas negativas (Israel, Taiwan e Singapura). Ainda na Europa, quatro países registaram não variação de preços no consumidor em agosto – França, Hungria, Irlanda e Reino Unido. As situações de deflação mais graves registam-se em Chipre, Roménia e Grécia com inflação negativa igual ou acima de -1,5%.