Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banca em stress na Bolsa

  • 333

Ações do BCP fecharam a descer 5,61% e as do BPI perderam 3,79%. A tendência deverá manter-se negativa devido aos riscos e incertezas que afectam estes bancos, apontam analistas

As ações do Millennium bcp e do BPI fecharam esta segunda-feira em forte queda e penalizaram o índice PSI-20 devido aos riscos e incertezas que pairam sobre os dois bancos.

O BCP fechou a perder 5,61% para €0,0488 e o BPI caiu 3,79% para €0,8120. O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI-20, fechou a perder 0,59% para 4.992,22 pontos.

Nos últimos três meses, o BCP acumula perdas de 39% e o BPI de 38,3% face à descida de 10% do setor da banca na Europa e da queda de 11,3% do PSI-20 no mesmo período.

O BCP desceu esta segunda-feira a mínimos de dois anos, afetado por receios sobre as perdas que poderá sofrer com a conversão de empréstimos em fracos suíços para zlotys na Polónia. Também as dúvidas sobre como e quando vai ficar concluída a venda do Novo Banco pesam no título, tal como no BPI, que se vê a braços com o risco da exposição a Angola.

"O adiamento da venda do Novo Banco prejudica mais os bancos com maior quota no Fundo de Resolução", aponta Steven Santos, gestor do BiG. "Enquanto não houver mudanças no fluxo de notícias, a tendência de descida não deverá mudar."

João Queiroz, analista da GoBulling, frisa que o setor da banca, em geral, enfrenta muitos desafios, num cenário de manutenção de taxas de juro historicamente baixas na zona euro e maiores exigências ao nível dos rácios de capital.

"E as eleições legislativas em Portugal também trazem incerteza, porque se houver um governo minoritário pode haver instabilidade", diz o mesmo analista.

No caso do BPI, o Citi cortou o preço-alvo do banco em 17% para €0,95 por ação, justificando com o risco de Angola e indefinição da estrutura acionista, segundo a Reuters.