Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Presidente da PT Portugal termina contrato que mantinha com o Estado

  • 333

Alberto Frias

Contrato previa o pagamento de 66 mil euros, acrescidos de IVA

Paulo Neves deixou a presidência da Agência para a Modernização Administrativa (AMA) em abril deste ano, mas continuava a receber dinheiro do Estado mesmo depois de ter sido nomeado presidente executivo da PT Portugal, agora controlada pela Altice. A informação sobre o fim do contrato entre a AMA e Paulo Neves foi noticiada esta segunda-feira pelo “Diário Económico”.

Paulo Neves saiu em abril de 2015 da AMA, mas a 17 de junho assinou um contrato por ajuste direto com a Agência para a Modernização Administrativa para prestação de serviços, com a duração de cinco meses, em troca de 66 mil euros acrescidos de IVA. Seria pago em prestações mensais de igual montante.

O contrato, segundo fonte oficial, foi revogado por mútuo acordo entre Paulo Neves e a AMA com efeitos a partir da data de início de funções deste na Portugal Telecom, ou seja, 6 de julho. Ficou por esclarecer se a cessação do contrato terá sido feito por estarmos perante a possibilidade de se tratar de um conflito de interesses. A AMA não esclareceu, apesar de ter dito ao “Diário Económico” que iria pedir um parecer externo aos serviços jurídicos do conselho de ministros.

Paulo Neves tinha sido convidado para a presidência da AMA por Miguel Relvas.