Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. E ao terceiro dia, Xangai volta a fechar no vermelho

  • 333

O índice de Xangai perdeu 3% a meio da manhã

KIMIMASA MAYAMA/EPA

Mais uma sessão bolsista imprópria para cardíacos. O índice de Xangai perdeu 3% a meio da manhã, recuperou ao começo da tarde mais de 4%, e depois entrou em queda e na última meia hora deu um trambolhão. O “Senhor das Ações”, um touro de três toneladas em Xiamen, ainda não deu sorte

Jorge Nascimento Rodrigues

Depois da reviravolta ao final da tarde na terça-feira em Wall Street, esta quarta-feira foi a vez de Xangai. Tudo indica que vai ser mais um dia de negociação impróprio para cardíacos.

Com as medidas de alívio na política monetária anunciadas esta terça-feira pelo Banco Popular da China, o banco central, a Bolsa de Xangai deveria animar-se. Mas o índice composto começou por cair 3% pelas 10h45 (hora da China), depois recuperou mais de 4% pelas 13h15 e à tarde caiu. Na última meia hora deu mesmo um trambolhão. Fechou a perder mais de 1%.

A trajetória otimista ao início da tarde parecia satisfazer o investidor e colecionador de arte chinês Cai Ming Chao, que encomendou um touro de três toneladas para dar sorte e o colocou na sua cidade, em Xiamen, na província de Fujian há duas semanas.

Batizou-o de o “Senhor das Ações”, e a estátua de seis metros de cumprimento e mais de três de altura tornou-se viral nas redes sociais. Cai Ming Chao quer que o touro se torne a mascote da bolsa chinesa e o padroeiro de ganhos financeiros, como em Wall Street.

Mas a bolsa chinesa é “um mercado brutalmente volátil”, avisa o economista Michael Pettis, professor em Pequim e autor do blogue China Financial Markets.

O índice composto de Xangai fechou esta quarta-feira a cair 1,27% e o índice CSI 300 – das principais cotadas nas bolsas de Xangai e de Shenzhen – perdeu 0,57%. Esta semana, as perdas já somam 17,4% no primeiro e 16,6% no segundo. O índice de Xangai está há cinco sessões consecutivas no vermelho. Desde o início do ano, o índice de Xangai perdeu 8,3% e o CSI 300 caiu 14,4%. A queda do índice de Xangai, desde o pico a 12 de junho passado, soma mais de 43%.

Na Ásia, a situação é mista. As Bolsas da Austrália e do Japão fecharam esta quarta-feira em terreno positivo, antes da reviravolta em Xangai. O índice Nikkei 225 da Bolsa de Tóquio ganhou 3,2% e o TOPIX subiu 3,23%. Também o índice KOSPI da Bolsa de Seul fechou a ganhar mais de 2,5%. Em Hong Kong e em Bombaimn, onde ainda decorre a negociação, os índices respetivos Hang Seng e BSE Sensex estão em terreno negativo.

A Europa abriu no vermelho, com os índices DAX da Bolsa de Frankfurt e FTSE 100 da Bolsa de Londres a perderem mais de 1,5% e o Eurostoxx 50 com uma queda de mais de 1,7%. O índice PSI 20 da Bolsa de Lisboa está a perder mais de 1%.