Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Atenas pagou 3,4 mil milhões de euros ao BCE

  • 333

YIANNIS KOURTOGLOU / Reuters

O Tesouro grego amortizou as obrigações na posse do Banco Central Europeu e dos bancos centrais nacionais do Eurosistema que venciam esta quinta feira, usando a primeira tranche do terceiro resgate

Jorge Nascimento Rodrigues

A Grécia amortizou esta quinta-feira 3,4 mil milhões de euros em obrigações detidas pelo Banco Central Europeu (BCE) e pelos bancos centrais nacionais do Eurosistema.

Esses títulos haviam sido adquiridos ao abrigo do programa de compra de dívida pública no mercado secundário (conhecido pela sigla SMP) lançado pelo BCE em maio de 2010 e que vigorou até 2012. Essas obrigações não foram integradas no plano de reestruturação de dívida realizado em 2012.

A curto e médio prazo, o BCE é o principal credor oficial da Grécia. Nos próximos cinco anos, o Tesouro helénico terá de amortizar 23 mil milhões de euros ao BCE e ao Eurosistema.

Este ano, a Grécia não terá de amortizar mais dívida obrigacionista junto do BCE e do Eurosistema. Os pagamentos a credores oficiais até final do ano resumem-se a pagamentos dos empréstimos do FMI: quatro pagamentos entre 4 e 21 de setembro, um pagamento a 13 de outubro e três pagamentos entre 7 e 21 de dezembro. Ao todo, 3,2 mil milhões de euros.

A amortização realizada esta quinta-feira foi feita com o novo empréstimo do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) ao abrigo do terceiro resgate aprovado na véspera no Luxemburgo.

O MEE disponibilizou, de imediato, 13 mil milhões para pagamento de dívida externa pela Grécia (ao BCE e para Atenas reembolsar o empréstimo intercalar de julho no montante de 7,2 mil milhões de euros concedido pelo Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira) e colocou numa conta dedicada 10 mil milhões de euros para uma primeira fase de recapitalizaçao dos bancos helénicos. Mais três mil milhões de euros serão disponibilizados em setembro ou outubro.

Até final do ano, mais 15 mil milhões de euros deverão ser destinados para a conclusão do processo de recapitalização dos bancos gregos. No total, a tranche a desembolsar em 2015 pelo MEE somará 41 mil milhões de euros; 26 mil milhões de agosto a outubro.

O montante global do terceiro resgate até agosto de 2018 está estimado em 86 mil milhões de euros, mas as suas componentes, à parte este envolvimento do MEE em 41 mil milhões de euros, ainda não estão estabilizadas. O envolvimento financeiro do FMI só será definido no outono e as contribuições totais de receitas de privatizações, de envolvimento dos credores seniores dos bancos gregos na recapitalização da banca, e de regresso do Tesouro grego à emissão de dívida obrigacionista durante o programa de três anos estão ainda em aberto.