Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Entrada da moeda chinesa no cabaz do FMI só em outubro de 2016

  • 333

O Fundo Monetário Internacional decidiu estender até final de setembro de 2016 a atual composição do cabaz de quatro divisas (dólar, euro, libra, iene) que baseia a sua unidade de conta

Jorge Nascimento Rodrigues

A direção executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou esta quarta-feira a sua decisão de estender até final de setembro a atual composição do cabaz de quatro divisas – dólar norte-americano, euro, libra esterlina e iene – que suporta a sua unidade de conta designada direito de saque especial. A decisão foi tomada a 11 de agosto e seguiu as recomendações que haviam sido feitas pelos técnicos do Fundo no dia 4.

Esta decisão significa que as resoluções que possam ser tomadas ainda este ano no âmbito da revisão quinquenal do método de avaliação do referido cabaz só entrarão em vigor em outubro do próximo ano. A expetativa mantem-se sobre a integração da moeda chinesa, o yuan, no referido cabaz.