Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BPI põe à venda banco em Angola

  • 333

ANTÓNIO COTRIM / Lusa

Goldman Sachs está à procura de possíveis interessados no BFA. Venda é uma das soluções para reduzir a exposição do BPI ao mercado angolano

O Goldman Sachs, banco de investimento do BPI, está a sondar potenciais interessados na compra da posição que a instituição portuguesa detém no Banco de Fomento Angola (BFA), revela o “Jornal de Negócios” esta quarta-feira.

A venda da operação angolana é uma das soluções para a redução da exposição do grupo de Fernando Ulrich ao mercado angolano, exigência imposta pelo Banco Central Europeu.
Segundo dados do banco português, referentes ao final do primeiro semestre de 2014, a posição acionista detida pelo BPI no BFA era de 50,1%. Isabel dos Santos, empresária filha do Presidente de Angola, é a segunda maior acionista com 49,9%, atráves da operadora Unitel

O BFA tem tem cerca de 150 agências em Angola, com 1,3 milhões de clientes e uma quota de 12% nos depósitos e de 15% no crédito. Depois do mercado português, o angolano é assumido pelo BPI como o seu segundo maior mercado de expansão do grupo, salienta a comunicação institucional do BPI.