Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Défice da balança comercial de bens aumenta €400 milhões

  • 333

As exportações de bens aumentaram 7,4%, enquanto as importações aceleraram 9%, no segundo trimestre deste ano face ao mesmo período de 2014, revelou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística

As exportações portuguesas cresceram em força, mas as importações cresceram ainda mais. Esta é a principal conclusão dos números sobre o comércio internacional de bens no segundo trimestre, divulgado esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

As exportações de bens aumentaram 7,4% em termos homólogos, enquanto as importaçlões subiram 9%, também em termos homólogos.

Como resultado, o défice da balança comercial de bens aumentou em 400,6 milhões de euros no segundo trimestre, situando-se em 2794 milhões de euros.

Considerando apenas o mês de junho, a evolução é mais positiva para as contas nacionais. Isto porque o incremento das exportações de bens atingiu os 9% em termos homólogos, bem acima do aumento de 5,4% registado nas importações.

Junho interrompeu, assim, um ciclo de três meses em que a taxa de crescimento das importações ficou acima da taxa de crescimento das exportações.

Este aumento das exportações em junho ficou a dever-se, sobretudo, às vendas para os parceiros da União Europeia, “generalizada à quase totalidade dos grupos de produtos, mas, em especial, nos Veículos e outro material de transporte, nos Plásticos e borrachas e nos Outros produtos”, aponta o INE.

Quanto ao aumento das importações em junho, foi o resultado “da evolução do comércio intra-UE, refletindo o acréscimo de quase todos os grupos de produtos, sobretudo Veículos e outro materiald e transporte e produtos Químicos”, salienta o INE.