Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Ingleses investem €80 milhões em Lisboa

  • 333

FOTO D.R.

Depois do palacete dos Lumiares, no Bairro Alto, a empresa britânica Morningbrigde aposta na aquisição de mais imóveis para reabilitar

Marisa Antunes

Jornalista

A zona de Santos foi a escolhida pelos ingleses da Morningbridge para a aquisição de mais dois edifícios, depois da aposta na reconstrução do emblemático Palácio dos Condes de Lumiares, localizado mesmo em frente à paragem do elevador da Glória, no coração do Bairro Alto.

Um dos edifícios de Santos já foi adquirido e será reconvertido num hotel de apartamentos que funcionará nos mesmos moldes do palacete dos Lumiares, edifício, recorde-se, que chegou a ser projetado para um hotel da marca CS de Carlos Saraiva. A empresa promotora Morningbridge, que atua em representação da Quick&Positive, está em vias de fechar a aquisição de um outro imóvel, também no bairro de Santos, mas este direcionado para o mercado residencial.

“Entre o de The Lumiares Luxury Hotel Apartments (com 53 apartamentos) e estes dois projetos serão cerca de 120 unidades”, explicou Chris Eddis, sócio da Morningbridge. O valor de investimento previsto para os três projetos, com aquisição e obra, deverá variar entre os 60 e os 80 milhões de euros.

O edifício de Santos, que já está comprado, vai manter a fachada secular à semelhança do palacete dos Lumiares que do edifício original do século XVI só restou mesmo a fachada principal após a derrocada do telhado em 2003. “À semelhança do The Lumiares, também este imóvel está em muito mau estado, agravado igualmente pela queda do telhado e tudo isso acabará por implicar um grande esforço de reabilitação”, diz Chris Eddis.

FOTO D.R.

Santos complementa The Lumiares

Peter Lowe, também sócio da Morningbridge, adiantou ainda que este edifício e o The Lumiares “irão complementar-se, pois terão o mesmo design, a mesma gestão e serão operados como um só negócio”.

Recorde-se que o modelo de negócio do The Lumiares assenta na exploração turística dos 53 apartamentos que forem adquiridos pelos investidores, um processo que está a ser assessorado pela consultora JLL. Ou seja, aos proprietários é-lhes conferida a possibilidade de usufruir da sua habitação durante seis semanas ao ano, reservando-se o resto do tempo para o mercado turístico.
As casas que estão a ser vendidas com preços entre os €260 mil e €1,1 milhões, apresentam uma garantia de retorno de 4% nos primeiros três anos, segundo a empresa.

Estes dois projetos estão mais direcionados para o mercado estrangeiro e o The Lumiares, que entretanto começou a ser comercializado, tem entre os clientes investidores ingleses, chineses e brasileiros. A construção deverá demorar cerca de 20 meses, estando prevista a conclusão para o primeiro trimestre de 2017.

Casas também para o mercado nacional

Já o mercado nacional é o principal alvo a atrair para o terceiro imóvel, que está neste momento a ser negociado. “Este terceiro edifício não será uma unidade hoteleira. Percebemos que há cada vez mais portugueses a querer viver no centro de Lisboa e estamos muito atentos à zona de Santos, por isso achámos que este projeto seria atrativo para o mercado nacional”, realçou Peter Lowe. Ao contrário dos outros dois, “este terá um registo mais contemporâneo, sem grandes imposições para a preservação do património”, complementa Chris Eddis, acrescentando que neste imóvel os preços por m2 serão inferiores que nos outros dois.