Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Clientes do Montepio pedem intervenção do BdP sobre banco

  • 333

A Associação Salvem o Pelicano diz que não é possível que o Banco de Portugal aprove a lista de novos órgãos sociais eleita hoje em Assembleia Geral extraordinária da Caixa Económica Montepio Geral. E lembra: 11 dos 22 membros da AG votam em si próprios.

Um grupo de clientes, investidores, associados e beneficiários da Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG) questiona a legitimidade da eleição dos novos órgãos sociais do Montepio e pede a intervenção do Banco de Portugal (BdP).

Em comunicado, a Associação Salvem o Pelicano lembra que 11 dos membros da Assembleia Geral da Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) votam em si próprios.

A AG extraordinária foi marcada para eleger novos órgãos sociais do banco e efectivar a separação entre CEMG e a sua acionista AMMG.

A AG é composta por 22 representantes da AMMG.

"A Associação Salvem o Pelicano apela publicamente a uma intervenção do Banco de Portugal sobre a CEMG", diz no comunicado.

Argumenta que pela forma como é eleita a lista não está "assegurada a efectiva separação funcional entre as duas entidades", a AMMG e a CEMG.

E adianta não é possível que o Banco de Portugal dê o seu aval e reconheça "qualidade" a uma lista para a administração do Montepio "assim 'eleita'".

Após comunicação do resultado da AG de hoje ao supervisor o BdP terá 30 dias para se pronunciar sobre a mesma. Mas o prazo pode ser alargado caso haja necessidade de solicitar mais informações ao Montepio.

Para este grupo de interessados nos destinos do Montepio, esta eleição apenas permite à atual gestão "auto perpetuar-se no tempo".

A Associação mostra-se surpreendida por constarem na lista de novos administradores pessoas sem experiência no setor.

O nome escolhido para presidir ao Montepio é José Félix Morgado, ex-presidente-executivo da Inapa. A Associação lembra que Félix vem de uma empresa presidida pelo presidente do conselho fiscal da AMMG.

Aponta ainda que estão a ser ignorados vários pontos dos Estatutos do banco.

Ainda não foi possível obter um comentário por parte do Montepio. Fonte oficial do banco tem referido que o banco e a sua gestão têm sido alvo de uma campanha e rejeita as acusações.