Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Intermediário da Altice reclama comissão de 70 milhões de negócio da venda PT

  • 333

Hernâni Vaz Antunes, empresário de Braga que trabalha habitualmente com a Altice e o seu acionista português Armando Pereira, interpôs uma providência cautelar contra a Oi por ausência do pagamento de uma comissão de cerca de 70 milhões de euros na intermediação do negócio da venda da PT Portugal

A providência, apurou o Expresso, foi interposta no tribunal cível de Lisboa e as audiências para ouvir as testemunhas estão prestes a iniciar-se. Em causa está o pagamento de uma comissão de negócio de cerca de 70 milhões de euros, valor que o empresário de Braga assegura ter combinado com a brasileira Oi como pagamento pela sua intermediação na operação de venda da PT Portugal à Altice. Hernâni Vaz Antunes alega, na providência cautelar, que terá combinado com responsáveis da Oi o pagamento de uma comissão de 1% sobre o valor da venda. A Altice pagou pela PT Portugal  7,4 mil milhões de euros. Agora, queixa-se Hernâni Antunes, a Oi recusa-se a pagar o que alegadamente terá sido combinado. 

O Expresso sabe porém que não há qualquer contrato escrito onde esteja combinado o pagamento da referida comissão, que seria recebida através de uma empresa com sede no Dubai. Setenta milhões de euros é um valor altíssimo, mesmo quando estamos a falar de grandes negócios. A boutique financeira Perella, recorde-se, recebeu dos Estado 10 milhões de euros pela assessoria nas privatizações da EDP e da REN. Contactado o advogado da Oi, Luís Cortes Martins, recusou-se a comentar. Hernâni Vaz Antunes também não respondeu às tentativas de contacto do Expresso.

A venda da PT Portugal à empresa liderada por Patrick Drahi, onde o português Armando Pereira tem uma participação de 30%, foi concluída no início do mês de junho, mas as negociações com a brasileira Oi já tinham começado um ano antes. A Oi tinha-se tornado dona da PT Portugal no âmbito de um aumento de capital da operadora brasileira, realizado a 5 de maio de 2014, um dos últimos passos da fusão entre as operadoras portuguesa e brasileira. Uma fusão que acabou por nunca ficar concluída, e que caiu por terra depois de ter sido tornado público o investimento ruinoso de 897 milhões de euros da PT na Rioforte.

Hernâni Vaz Antunes é próximo de Armando Pereira e já há alguns anos que trabalha com a Altice como intermediário nos contratos que a empresa faz com os fornecedores. Foi ele que renegociou os contratos da Cabovisão com os fornecedores, quando a empresa foi comprada pela Altice. Conhecido no meios financeiros como “o intermediário” ou o "facilitador", Hernâni Vaz Antunes costuma receber uma comissão na renegociação dos contratos da Altice. E tem sido um homem central na entrada da Altice na gestão da PT. É ele quem faz muitas vezes a ponte entre os vários intervenientes.