Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Já sabe quais são os melhores empregadores do mundo?

  • 333

Sem surpresas face aos anos anteriores, a Google continua a ser a empresa onde todos querem trabalhar, mas há algumas novidades

Catia Mateus

Catia Mateus

Jornalista

Google, PwC, EY, Goldman Sachs, KPMG, Deloitte, Apple, Microsoft, J.P. Morgan e Procter & Gamble compõem o  top 10 dos melhores empregadores do mundo em 2015, segundo o ranking anual elaborado pela consultora Universum em 57 países, que acaba de ser divulgado.

A consultora especializada em employer branding inquiriu 240 mil estudantes universitários em todo o mundo para alcançar, não só a lista de empregadores de excelência onde a maioria gostaria de trabalhar, mas também as razões da sua escolha e o que procuram os jovens profissionais no mercado de trabalho.

Petter Nylander, CEO da Universum, não tem dúvidas de que os resultados deste ano confirmam uma tendência que há muito se vem evidenciando: para atrair a gerações profissionais mais jovens, as empresas têm de conseguir oferecer aos seus profissionais a possibilidade de inovar e de trabalhar com sentido de missão. Por outras palavras, têm de conseguir gerar um espírito de compromisso entre as suas equipas. “Os estudantes procuram estruturas que lhes permitam crescer profissionalmente e otimizar o seu desempenho”, resume Nylander acrescentando que “a geração millennial quer verdadeiramente integrar uma empresa cuja missão compreenda, com a qual se identifique e onde possa trabalhar em equipa em prole dos resultados do negocio”.

Na linha do vem sucedendo nos anos anteriores, a tecnológica Google continua a ser apontada pelos futuros profissionais como a organização que melhor permite alcançar estas ambições, posicionando-se novamente como a primeira escolha dos estudantes nos 57 países inquiridos. Na lista de empregadores de sonho, estão também várias consultoras e outras tecnológicas, como a Apple e a Microsoft.

O ranking de 2015 fica também marcado pela crescente atratividade da Goldman Sachs que subiu da oitava posição que ocupava em 2014, para a quarta na edição deste ano.

Na análise global do ranking deste ano, a consulta destaca a forte orientação das novas gerações de profissionais para “ambientes empresariais altamente empreendedores e dinâmicos”. Inovação, compromisso, motivação e possibilidades de crescimento contam tanto ou mais que um bom salário para os novos profissionais.