Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Possível acordo entre Atenas e credores deixa bolsas mistas

  • 333

Em Nova Iorque, Wall Street terminou em baixa na terça-feira, com o Dow Jones a cair 0,16%, para 18.011,94 pontos

JUSTIN LANE / EPA

Pelas 9h15, as bolsas de Paris, Frankfurt e Milão estavam em alta, a avançarem 0,26%, 0,45% e 0,22%, respetivamente, enquanto as de Londres e Madrid estavam a recuar 0,13% e 0,19%

As principais bolsas europeias estavam esta quarta-feira com tendências diversas, cautelosas relativamente à hipótese de o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, alcançarem um princípio de acordo de apoio financeiro a Atenas.    

Cerca das 9h15 em Lisboa, o EuroStoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a subir 0,25%, para 3.570,78 pontos.

As bolsas de Paris, Frankfurt e Milão estavam em alta, a avançarem 0,26%, 0,45% e 0,22%, respetivamente, enquanto as de Londres e Madrid estavam a recuar 0,13% e 0,19%.

Depois de ter aberto em alta ligeira, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 9h15, o principal índice, o PSI20, estava a avançar 0,51%, para 5.909,81 pontos.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou em baixa na terça-feira, com o Dow Jones a cair 0,16%, para 18.011,94 pontos, depois de ter subido a 19 de maio passado até aos 18.312,39 pontos, o atual máximo de sempre desde que foi criado. 

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,1173 dólares, contra 1,1127 dólares no fecho de terça-feira. 

O Banco Central Europeu (BCE) fixou na terça-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,1029 dólares.

As negociações entre Atenas e os credores internacionais serão previsivelmente um dos assuntos mais importante da reunião do conselho de governadores do BCE. 

O BCE divulga esta quarta-feira as novas estimativas macroeconómicas, de crescimento e inflação, e deverá fazer um ponto da situação do programa de estímulos, de compra de grandes quantidades de dívida, sobretudo soberana. 

Também se realiza esta quarta-feira a reunião anual dos ministros da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico), na qual intervêm o presidente francês, François Hollande, o titular da Economia espanhol, Luis de Guindos, e à qual assistem vários comissários europeus. 

O secretário-geral da OCDE, Ángel Gurría, e a economista-chefe da instituição, Catherine Mann, apresentam o relatório semestral de perspetivas. 

Mesmo assim, a agência comunitária de estatística Eurostat publica os dados do desemprego em abril tanto na União Europeia (UE) como na zona euro, e a Reserva Federal (Fed) dos Estados Unidos publica o "livro bege", documento que recolhe informação sobre o estado da economia nos últimos meses. 

O barril de petróleo Brent, para entrega em julho, abriu esta quarta-feira em alta, a cotar-se a 65,12 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,74% do que no encerramento da sessão anterior.