Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Mais cinco anos para Carlos Costa. "Teve atitude de coragem no caso BES"

  • 333

Banco de Portugal. Recondução do Governador vai a conselho de ministros

Luís Barra

Governo anuncia recondução do governador do Banco de Portugal e elogia trabalho feito a propósito do Banco Espírito Santo.

Está decidido: o Governo quer que Carlos Costa continue como governador do Banco de Portugal. O ministro da Presidência, Luís Marques Guedes, anunciou a decisão esta quinta-feira, após a reunião do conselho de ministros.

A proposta segue agora para audição parlamentar. Carlos Costa prepara-se assim para se suceder a si próprio - e permanecer no cargo durante mais cinco anos. 

O mandato que agora chega ao fim ficou marcado pela intervenção da troika - um dos eixos envolvia o sistema financeiro -, a injeção de capital do Estado na banca e o colapso BES - a resolução do banco foi tomada formalmente pelo governador.

A propósito do caso BES, o governador fez esta semana uma observação relativamente ao impacto que o caso teve no seu mandato. "O caso BES marcou o ano de 2014, mas não marcou o mandato", disse. E acrescentou: "Os méritos do governador são os méritos da equipa".

Luís Marques Guedes falou esta quinta-feira precisamente sobre o mesmo tema - a queda do Espírito Santo. Fê-lo com elogios: "Pessoalmente, acho que a atitude do Banco de Portugal foi de coragem. Encontraram uma solução sem peso para os contribuintes portugueses. Carlos Costa lidou bem com as dificuldades inerentes ao caso BES e é um ótimo candidato para prosseguir o trabalho que tem feito".