Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Nem todos podem criar um negócio

  • 333

Nem todas as pessoas foram feitas para criar um negócio. Martin Zwilling, CEO da Startup Professionals acredita que existem certos tipos de pessoas que não vão criar um negócio. Sonhar sem implementar, medo de falhar e medo do sucesso são alguns das características que podem ser um entrave a empreender.

E se lhe dissessem que não pode começar um negócio porque não tem perfil para isso? Num artigo divulgado no site da revista Entrepreneur, Martin Zwilling, CEO da Startup Professionals, que apoia criadores de startups e de pequenas empresas, acredita que nem todas as pessoas reúnem os atributos necessários para criar um negócio.

Baseado na sua experiência, Martin apresenta uma lista de tipos de pessoas, que pelas suas características não vão criar um negócio, a que chama de “non-starters”.

O autor do artigo apresenta a lista, da qual se apresentam de seguida alguns dos tópicos evidenciados e diz ter a certeza que quem a lê rapidamente se vai lembrar de pessoas que conhece, ou até mesmo de si próprio.

1. Gostam de sonhar, mas não de implementar. Este tipo de pessoas são geralmente aquelas que têm ideias, que gostam de falar acerca da sua visão das coisas e deixar a implementação para outras pessoas. Martin acrescenta que, pela sua experiência, existem várias boas ideias por aí. O mais difícil é transformar essas ideias em negócios rentáveis.

2. Relutantes ou incapazes de adquirir competências de implementação de negócios. Na nossa cultura ainda existe o mito de que as competências de negócios apenas podem ser adquiridas nas salas de aula ou em laboratório. Nos dias de hoje, em que estamos constantemente conectados à Internet, a autoaprendizagem online está sempre disponível e é mais produtiva.

3. Têm um medo irracional de falhar ou de constrangimento. Todos temos um certo medo do desconhecido, e isso é bom para a sobrevivência. Os empreendedores de sucesso são os que superam os seus medos e gerem os riscos e as falhas como uma parte do processo de aprendizagem. Outros estão impedidos pelo medo, evitam os riscos a todo o custo e acabam por nunca começar.

4. Têm um medo irracional de lidar com o sucesso. Já todos vimos pessoas bem perto de alcançar o sucesso e que parecem ter falhado intencionalmente perto da linha de chegada. Muito sucesso precoce pode destruir um negócio, mas os empresários reais estão certos de que podem crescer e aprender com o sucesso, do mesmo modo que aprendem quando falham.

5. Insistem no perfeccionismo, mais do que no pragmatismo. Martin começa por dizer que conhece inventores talentosos que trabalham na mesma tecnologia há 20 anos e que continuam a querer fazer pesquisa para garantir que o produto está perfeito antes de ser vendido. No atual mercado em constante mudança, a perfeição é um objetivo pouco prático. Os pragmáticos criam um produto mínimo viável e testam-no no mercado.

6. Incapazes de manter o foco e resistir a distrações. O foco é a chave para o sucesso de um empresário. Um negócio que tenta fazer demasiadas coisas para muitos mercados acaba, geralmente, por não se destacar em nenhum, do mesmo modo que desencoraja potenciais clientes. Focar-se significa manter as prioridades bem definidas, separando o importante do urgente, organizando e delegando.

7. Simplesmente um “non-starter”, líder ou decisor. Segundo o autor desta lista, estes são os que resultam da revolução industrial e que esperam que os outros lhes digam o que fazer. Martin acrescenta ainda que para se ser um empreendedor é necessário adotar a atitude certa, com total responsabilidade. As pessoas que o quiserem verdadeiramente vão conseguir.