Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Empresa inglesa de capital de risco junta-se à corrida pela TAP

  • 333

PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP / Getty Images

A Greybull Capital, que tem investimentos em vários setores na Europa e nos Estados Unidos, foi uma das sociedades de capital de risco que assinaram com o Governo português um termo de confidencialidade para analisar a privatização da TAP.

A privatização da TAP poderá vir a contar com um novo concorrente: a empresa de capital de risco Greybull, com sede em Londres, está a avaliar a compra da companhia aérea portuguesa, noticia esta sexta-feira o jornal "Público". 

A Greybull, que no final do ano passado adquiriu uma companhia low cost britânica, a Monarch, é uma de três sociedades de capital de risco que assinaram um termo de confidencialidade no âmbito da privatização da TAP, à semelhança da norte-americana Apollo Global Management, cujo interesse já havia sido revelado pelo Expresso

A privatização da TAP, recorde-se, está a entrar numa fase decisiva. Na próxima sexta-feira, 15, termina o prazo para apresentação de ofertas ao Governo português, sendo que no lote de potenciais interessados estão os empresários Gérman Efromovich (dono da Avianca) e David Neeleman (dono da companhia aérea brasileira Azul), bem como Miguel Pais do Amaral e a companhia aérea brasileira Gol.  

A Greybull Capital apresenta-se como uma empresa com investimentos diversificados, que vão da energia à tecnologia, passando pelo retalho e indústria, com ativos tanto na Europa como nos Estados Unidos da América. 

A empresa londrina comprou a Monarch em outubro de 2014, investindo 125 milhões de libras (168 milhões de euros ao câmbio atual) na companhia aérea britânica, que tem em curso um processo de redução da frota de 42 para 36 aviões, apesar de já ter encomendado à Boeing 30 aeronaves para entrega a partir de 2018. 

Na Monarch houve também um acordo para cortes salariais, que em alguns casos chegam aos 30%, segundo noticiou em outubro do ano passado a agência Reuters.