Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Quer saber onde se cultiva milho transgénico em Portugal?

  • 333

A Plataforma Transgénicos Fora disponibilizou o mapa com a identificação e localização dos campos em que se cultiva o milho transgénico em Portugal. Os dados foram conseguidos após cinco acções judiciais.

Desde o início do cultivo de Organismos Geneticamente Modificados (OGM), o Ministério da Agricultura tem recolhido informação anualmente, divulgando dados considerados incompletos e que não permitem o acesso do público à localização exacta dos terrenos cultivados.

Após cinco acções em tribunal, foram disponibilizados online os dados completos do cultivo do milho transgénico, designado por milho-Bt, utilizado na produção de um insecticida contra a praga da broca.

O mapa disponibilizado hoje pela Plataforma Transgénicos Fora, que reúne onze entidades não-governamentais da área do ambiente e da agricultura, permite, entre outras informações, identificar as áreas exactas das explorações agrícolas que adoptaram o milho transgénico, uma informação que pode ser importante para a detecção antecipada de possíveis problemas.

De acordo com os dados revelados, Santiago do Cacém é o concelho com mais milho transgénico, com cerca de 1200 hectares em 2014 e aproximadamente 1000 hectares no ano anterior. Segue-se Coruche, com uma área cultivada de 850 hectares em 2014 e 870 hectares em 2013.

No entanto, a plantação deste OGM requer algumas atenções. Na área da saúde, é importante ter em consideração as alergias ao pólen transgénico para os que vivem nas regiões circundantes à plantação. No domínio do ambiente, há que ter em consideração o possível impacto negativo em espécies não alvo do ecossistema agrícola.

O cultivo do milho transgénico é autorizado na Europa e está regulamentado em Portugal, sendo necessário cumprir alguns procedimentos para a sua plantação, entre os quais a notificação dos vizinhos ou a distância de outras culturas.

Portugal tem votado a favor dos pedidos de introdução de novos transgénicos, como aconteceu no ano passado com a importação de novas variedades de algodão e colza transgénicos, sendo um dos únicos países da União Europeia onde ainda se cultivam este tipo de produtos.

O milho transgénico ainda não é muito utilizado pelos agricultores nacionais. Em 2014, foram cultivados cerca de 8500 hectares, que representam uma pequena parcela (6%) da área total de milho plantado no país.