Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Impresa e Novabase entre as 40 tecnológicas da Europa

  • 333

Pedro Norton salientou a "feliz coincidência" de tocar o sino na bolsa de Lisboa no dia em que o Expresso Diário celebra o seu primeiro aniversário

Alberto Frias

As duas empresas entraram para o recém-criado índice Tech 40, da Euronext. Para as empresas cotadas, entrar num índice é passar a estar "à venda" em mais uma montra.

Estar cotado em Bolsa não é só para as grandes, como a gigante Apple. As pequenas e médias empresas têm vindo a conquistar espaço em Bolsa. Nos mercados Euronext, em 2014, as PME captaram nove mil milhões de euros de financiamento em Bolsa, contra 6,8 mil milhões de euros em 2013. Daquele valor, 740 milhões de euros foi obtido por 31 novas cotadas.  

Nos últimos anos algumas PME portuguesas estão entre as maiores estreias entre as PME europeias: CTT, Espírito Santo Saúde, Montepio e Nexponor. 

Agora, mais duas empresas portuguesas passam a estar em destaque ao integrar o novo índice da EnterNext, a empresa da Euronext para as PME. O Tech 40 reúne as maiores e mais inovadoras PMEs europeias. A Impresa, dona da SIC e do Expresso, e a Novabase são as eleitas. 

"Num período onde a Europa pode ser vista como uma região que oferece oportunidades, estamos felizes de ver que os investidores estão cada vez e mais interessados em PME", disse ao Expresso Eric Forest, presidente-executivo da EnterNext. 

"O mercado de PME tem claramente a sua própria vibração e energia e a Europa está cheia de empreendedores com projectos que podem beneficiar de financiamento no mercado". 

O Tech 40 abre às empresas eleitas uma gama de serviços de promoção e acompanhamento, durante um ano. 

A divulgação do novo índice teve hoje um evento em Lisboa. O presidente-executivo da Impresa, Pedro Norton, tocou o sino na Bolsa, na presença de do responsável da EnterNext, Eric Forest,  e, ainda, de um dos membros do comité de especialistas Tech 40, Carlos Oliveira (ex-secretário de Estado da Inovação).

Pedro Norton salientou a "feliz coincidência" de tocar o sino na bolsa de Lisboa no dia em que o Expresso Diário celebra o seu primeiro aniversário.

E destacou o facto de "a Impresa ser a única empresa de media portuguesa neste índice". O grupo tem apostado na inovação com a aposta em conteúdos de media digitais. Há precisamente um ano, lançou o Expresso Diário, que "tem 18 mil compradores diários", baseado num modelo de negocio sustentado.

Sobre a entrada no Tech 40, Norton vê "como uma forma de dar mais visibilidade a empresa no mercado de capitais, dentro de portas e fora de portas".

"Os mercados de capitais são uma ferramenta eficiente para financiar estas empresas inovadoras", afirmou Eric Foster após o toque do sino.

 A Impresa e a Novabase vão ter acesso a serviços premium da EnterNext para maior promoção junto de investidores.

A criação deste índice faz parte de um conjunto de medidas iniciadas em 2014 pela EnterNext para apoiar as empresas tecnológicas junto dos mercados financeiros.  

O EnterNext engloba 750 PME cotadas nos mercados Euronext na Bélguca, França, Holanda e Portugal. 

Índices para todos os gostos

Têm nomes chatos e concisos, normalmente compostos por siglas. Por vezes têm também números. São as montras dos mercados, que podem ditar a sorte de muitas cotadas. Há índices para todos os gostos. Há os 'Blue-Chip' (os principais, com as maiores cotadas), os setoriais e os de países, como o PSI-20 (que na prática é PSI-18). Há índices de baixo risco, de dividendos, volatilidadeMas há muitos mais. São usados para vender produtos junto dos investidores (como os Exchange Traded Funds e outros instrumentos, como os produtos estruturados). 

Várias cotadas portuguesas estão em diferentes índices da Euronext e não só. No caso da Euronext, entre os principais estão o N150 e o Euronext 100 que contam com empresas portuguesas. Outros índices que integram cotadas lusas são o Euronext NEIBI –Euronext Iberian Index e o Euronext SEBI (Southern European Banks Index). 

Há ainda os índices relacionados com a responsabilidade social fruto de uma parceria entre a Euronext e a Viageo que contam com a presença da EDP e do BCP.