Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Função Pública: Pedidos de reforma quadruplicam

Entre janeiro e março registaram-se 15.806 pedidos de aposentação dos funcionários públicos, mas o Governo acredita que deverão abrandar ao longo do ano.

O Ministério das Finanças disse hoje que o ritmo dos pedidos de aposentação deverá abrandar "significativamente" ao longo do ano, depois de ter triplicado no primeiro trimestre, face a igual período do ano passado.     "Estes pedidos significam uma antecipação do que seria normal esperar ao longo do ano", explicou fonte do Ministério das Finanças à agência Lusa.   Entre janeiro e março foram 15.806 os pedidos de aposentação dos funcionários públicos, contra os 5.366 efetuados um ano antes.     A manter-se este ritmo de novas saídas no Estado, o número de novos funcionários superará em três vezes as projeções feitas no plano de actividades da Caixa Geral de Aposentações (CGA), que apontava para um total de 22.500 pedidos no conjunto do ano.  

OE acelera pedidos de aposentação

O Ministério das Finanças considera, no entanto, que houve "uma concentração de pedidos neste primeiro trimestre em virtude das alterações legais previstas no Orçamento de Estado para 2010".     "Prevemos que este número de pedidos se reduza significativamente no resto do ano", referiu.    O Orçamento do Estado para este ano prevê a aplicação de uma penalização de 6% cada ano de antecipação da reforma.    Atualmente essa penalização é de 4,5% na Administração Pública e de 6,5% no setor privado.

Convergência da idade de reforma

O Programa de Estabilidade e Crescimento também prevê a antecipação para 2012 ou 2013 da convergência da idade da reforma com o setor privado, para os 65 anos.    Os dados disponibilizados na terça feira à Lusa pelo Ministério das Finanças não discriminam, no entanto, no conjunto dos pedidos de reforma, quantos foram os funcionários que pediram aposentação antecipada.      Contudo, o secretário de Estado da Administração Pública, Gonçalo Castilho dos Santos, tem manifestado a sua preocupação relativamente a esta matéria e alertado os funcionários para que "façam bem as contas".     Segundo o governante, têm existido casos de trabalhadores que avançam com pedidos de aposentações com penalizações de 50 e 60%.     *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

 

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.