1
Anterior
Para ler em voz alta
Seguinte
Quem sabe quem foi?
Página Inicial   >  Blogues  >  Ré em causa própria  >   É Proibido fumar

É Proibido fumar

|
Ré em causa própria - É Proibido fumar

Parece uma canção antiga do Roberto Carlos mas não é.


Eu não fumo. Detesto estar a almoçar e "a levar" com o fumo do cigarro dos outros. E detesto os charutos espanhóis que têm um cheiro que me faz nauseas. Gosto do cheiro a cachimbo, algum tabaco usado em cachimbos tem um aroma fantástico.

Mas, voltando ao título e à proibição de fumar em carros que transportam crianças.

Sendo proibido fumar em locais públicos e frequentados por menores de 18 anos, não abrange a proibição uma grande amplitude de lugares, incluindo este?

A Lei n.º 37/2007 de 14 de Agosto  já contém em si o suficiente para punir o necessário.

Diz-se por aí que vai ser proibido fumar em carros que transportem crianças.... deve haver uma coima e...como se aplica? Estes veículos serão seguramente, tendo em conta a lei em vigor, os veículos dos pais que serão mandados parar no meio do trânsito e coimados.

Mas, na realidade não é isso que me preocupa mas sim, a preocupação do Governo com o fumo dentro de carros que transportam crianças.

Penso eu que o mais elementar bom senso, embora haja gente com muita falta desse bem, implica que não se fume dentro de um carro fechado que transporta terceiros que não fumam e ainda por cima são crianças.

O que me preocupa é que em contraste com esta preocupação de proibição, tenhamos um Serviço Nacional de Saúde que vai oferecendo cada vez menos garantias para quem tem de usufruir dele e tem menos posses.

Barack Obama lutou para ter um Serviço de saúde quase tão saudável como o que tinhamos. Nós tentamos agora americanizar o nosso SNS?

E o ora presidente dos EUA sabia e sabe que rever o sistema de saúde é politicamente arriscado, havendo que gerir as pressões das companhias de seguros, de alguns médicos e outras classes ou entidades que defendem ferozmente os respectivos interesses.

Não será mais prejudicial à saúde este processo acelerado de destruição do Serviço Nacional de Saúde num jogo de empurra para os seguros de saúde que é apenas mais um jogo de mercados económicos para que os Governos, democráticamente eleitos, se sintam desresponsabilizados?

O direito à saúde não é um direito fundamental, assim como o direito ao trabalho? Sem dúvida que é. Não é um dever do Estado garanti-la e garantir as formas da sua proteção e manutenção? E é proibindo e penalizando da forma supra referida que se procura exercer também esse dever?


Não será mais preocupante não ter um serviço nacional de saúde que sirva a todos e a todos chegue?

Não deverá o Estado ter mais intervenção e preocupação nesta área que na área íntima e privada de cada cidadão?

 

Faz-me lembrar esta questão a dos piercings em 2008. Ainda se recordam?


O Executivo que também é o legislativo não queria que os jovens usassem piercings.Assim como não podem votar, os menores de 18 anos também não deviam poder usar piercing disse o executivo que também é legislativo.
De acordo com a proposta socialista, quem fizesse uma tatuagem ou colocasse um piercing teria que passar a assinar uma declaração de consentimento (confidencial, que teria de ser arquivada por um período de cinco anos).

Renato Sampaio, deputado socialista que redigiu o documento - que vinha preparando desde há seis meses, com "apoio técnico especializado" - justificou a iniciativa com a necessidade de "acautelar a saúde pública" quer dos utilizadores, quer de quem lida com estes procedimentos.

O que eu acho ridículo é que se invoque a saúde pública neste caso e se esqueça a saúde pública noutros casos bem mais prementes como já disse acima.

Todos sabemos e se não sabemos devíamos ser esclarecidos, sobre o perigo que se corre ao colocar um piercing (não é menor que o perigo que se corre ao extrair um dente do ciso ), mas porquê logo os piercings?

E porque agora proibir fumar em carros com crianças dentro. Não sabemos já todos os malefícios do tabaco?

Não está o Soberano a entrar dentro das nossas casas e das opções de vida embora pareça querer proteger as nossas crianças?

Mas nesse caso, não bastam as campanhas de prevenção? Precisamos de repressão?

E quanto à Lei do Aborto? Qualquer rapariga de 16 anos pode decidir abortar. - http://www.juntospelavida.org/legislacao.html

Não é esta opção legislativa ( se a opção da rapariga de 16 anos não for devidamente justificada), um atentado à vida e provavelmente um passo para a desresponsabilização de inúmeros jovens relativamente a uma vida que não é sua mas, tiveram a possibilidade de gerar? Não exige esta área mais cuidados?

E isto leva-me a relembrar uma proibição ridícula de há anos atrás que proibia a entrada na Biblioteca Nacional com menos de 18 anos.Com 16 anos qualquer jovem se podia alistar em qualquer dos ramos das Forças Armadas, mas não podia entrar na Biblioteca Nacional.

Mas ainda é assim. No site da Biblioteca nacional , podemos ler:
"Têm acesso à Sala de Leitura, mediante inscrição prévia e apresentação do Cartão de Leitor, os utilizadores nacionais e estrangeiros com idade superior a 18 anos. Para obtenção do Cartão de Leitor é necessária a apresentação do Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão."

Compreendo que são valiosos os bens que ali se encontram mas,... e a vida não é um bem valioso? E a cultura não é um bem valioso? E a saúde é um bem valioso como a autonomia e o livre arbítrio também o são.

 

Um Estado cada vez mais proibicionista torna-se totalitário ao ingerir-se na vida privada dos cidadãos.

Terá em consequência, cada vez menos hipóteses de ter consigo Homens cultos e responsáveis e, certas proibições parecerão uma procura desenfreada de receitas a todo o custo, para além de serem um limite ao que deve ser uma escolha livre e consciente.

A dignidade humana não passa por ser cada indivíduo dotado de razão e poder de escolha ?

 A autoestima e o reconhecimento social não passam pelo respeito que o Estado eleito pelo indivíduo tem por esse mesmo indivíduo?

Qualquer dia entram na minha casa e dizem:

- É proibido andar descalça cá em casa! É proibido provar o doce do marido com a sua colher! É proibido beijar o seu filho sem lavar os dentes! É proibido emprestar a sua T shirt à filha .

É proibido espirrar ao Sábado!...

 

ACCB


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados
Esta medida é p/desviar a Maternidade!
Adorei ler a sua crónica ... Agarrem aí os usurpadores! Mas ninguém agarra…O país a depredação, degradação. E muitos… nada . E, entretanto o Zé … Olhou, Olha e vai olhando o balão… Que bom seria ter um povo totalmente de ignorantes.
Algo de contraditório estamos assistindo … empírico talvez… esta medida advém de ter os Resultado que não se atinge com muito trabalho em rede e é uma acção como outras que nos deixam pouco de palpável ... e devia ser com grandes acções que enchem o olho e nos façam pensar que estão a trabalhar na realidade..
Notícias preocupantes aliadas à liberalização da saúde... pondo em causa a Universalidade... Entre o SNS e o Privado ... e olhando todas as dificuldades inerentes e a um país com uma população envelhecida e com grandes dificuldades económicas resta-me dizer que a saúde e geração não se apura ... e é um bem precioso e liberalizar a saúde é por a mesma doente ... tratar primeiro da saúde que diamantes são pedras... e esta é uma riqueza enorme ...o acesso à mesma em igualdade..
e sem um serviço forte, bem administrado é um risco para todos mesmo aqueles que defendem a livre escolha do sistema privado...
Não sou a favor de mais lobbies ... já há muitos instalados no nosso país. Estado de direito que cada vezes é mais torto nas relações existentes entre o poder e os cidadãos ... este que devia ir de encontro com palavras e actos de ética e justiça ... mas ... há sempre um mas que já se torna norma na acção!...
É proibido ir ao Médico!
Comentários 1 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub