Anterior
Os tribunais ao pé da porta
Seguinte
As entidades reguladas pelo PSD e PS
Página Inicial   >  Blogues  >  É preciso topete  >   Durão Barroso anti-imperialista rumo às presidenciais de 2015

Durão Barroso anti-imperialista rumo às presidenciais de 2015

|

A menos de dois anos do fim do mandato como presidente da Comissão Europeia, aí está Durão Barroso, já a pensar no seu próximo cargo, agora de regresso a Portugal como candidato a Presidente da República em 2015.

Fez o aquecimento numas tantas conferências, mostrou-se em Portugal. Tem o peso do estrangeirado que foi escolhido pelos grandes do mundo, o peso institucional de Bruxelas, agora precisava do toque irreverente contra a América e as ditaduras do mundo para ganhar  profundidade e captar eleitorado no centro-esquerda, essencial para ser eleito Presidente da República.      

No México, na Cimeira do G20, culpou a América pela crise do euro, os especuladores, os financeiros sem escrúpulos, ele que sempre foi um homem dos americanos, ele que como líder máximo desta Europa destroçada é parte do problema, ele que se demitiu praticamente das suas funções, dando rédea total a Merkel, Sarkozy, Hollande.  

Atacou os países do G20 por quererem dar lições de democracia à Europa e alguns nem a praticarem, alusão à China e à Rússia, ele que nos últimos dez anos foi um defensor do comércio total com Pequim, fechando os olhos à violação de direitos humanos na China, ele que não denunciou a dupla de bonzos Putin-Medvedev.   

Maoista na juventude, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros no governo de Cavaco Silva, esforçando-se por brilhar mais que o ministro João de Deus Pinheiro, candidato a líder que se atravessou no caminho do sacrificado do cavaquismo Fernando Nogueira, primeiro-ministro que chegou lá no pântano guterrista mas mesmo assim ia quase perdendo para Ferro Rodrigues, presidente da Comissão Europeia quando o troféu lhe caiu do céu, perante um país ainda mais de tanga, deprimido, que mesmo assim teve forças para lhe oferecer o pior resultado de sempre nas eleições europeias de 2004. Aproveitou a ingenuidade de Santana Lopes e foi-se embora durante dez anos.

Hoje aí está novamente. Com toda a lata do mundo, anti-americano, anti-chinês, anti-russo, anti-imperialista. Com os barrosistas, sedentos de poder, a traçarem por aqui as estratégias e até Marcelo Rebelo de Sousa como lebre, a fazer tabu da sua candidatura presidencial para Durão sair da cartola. Como aconteceu com Cavaco Silva.                    

Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados
qua qua qua qua ...
E vai ser ... só agora é que vistes pá ? Mas também tanto faz - seja ele, a Luciana Abreu ou o Chico do Palácio (saudoso que tanta falta nos faz), é indiferente cá para o pessoal. Só espero que faça uma plástica, que com aquela cara assusta todas as criancinhas ... ele ser marxista, papista, alcoolico, pedagogo, cronista social, alfacinha, lampião, arrotador, critico de arte, bombeiro, keynesiano, também, tanto nos faz ... vai ser mais um manjerico a fazer que faz e a butar faladura aqui e ali ... só terá que haver um cuidado, e isso sim, preocupa-me - o crescente recambiar de figuras que conseguimos exportar nos bons velhos tempos - vejam, o Borges, o Ferro, se agora vem esse ... começo a ficar preocupado se também vem o Guterres, o Cravinho, o Cosntancio, o Sócrates, e outras figuras que conseguimos exportar - tá o Sócrates não foi bem uma exportação, está só à espera de ter que se pirar para paraíso de onde não seja extraditável ... não é ? Porque será que os nossos órgãos de informação nunca exploraram esta tese ? qua qua qua A propósito ainda haverá gente a pagar impostos para lhe pagar ?? Já pensaram nisto ?
Re: qua qua qua qua ...
Re: qua qua qua qua ...
A memória.
Portugal é um pais em que a maioria do povo não tem memória.Uma espécie de alzymer colectivo em que o prazer masoquista se tornou uma actividade interessante e livre de impostos.Não sou derrotista,porque de outra forma não reagia,mas sinto que apesar de estar a milhares de Km.não fico indiferente ao ver o meu pais a mergulhar num pantâno composto por gente com práticas em que os escruplos pela desonestidade são nulos.Não hà memória de uma coisa assim.
Comentários 4 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Últimas


Pub