Anterior
Só a frieza de um basco para aquecer o 'bailarico' da Espanha
Seguinte
Eusébio passa noite no hospital em observação
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Desporto  >  Euro 2012  >   Duelo ibérico: Espanha é melhor mas Portugal está a melhorar

Euro 2012

Duelo ibérico: Espanha é melhor mas Portugal está a melhorar

Os confrontos entre Espanha e Portugal andam com uma toada de ataque e contra-ataque: em 2003, o 0-3 num particular em Guimarães foi vingado com 1-0 na fase de grupos do Euro-2004; em 2010, o 0-1 nos 'oitavos' do Mundial foi devolvido seis meses depois com um 4-0 na Luz. Como será quarta-feira?

Clique para visitar o dossiê Euro 2012
|
A Seleção tem razões para estar confiante
A Seleção tem razões para estar confiante / Bartlomiej Zborowski/EPA

Clique para aceder ao índice do Dossiê Euro 2012
Não havia muito por onde escolher: entre Espanha e França, venha o Diabo e escolha. Pelo menos olhando para o histórico, onde os portugueses são 'anjinhos' que começaram a perder e quando tentam subtrair a diferença acabam por somar derrotas. São ou... eram - a história tem vindo a mudar. Calhou em sorte a Roja nas meias-finais (quarta-feira, 19h45, SIC e SportTV1). Ok, eles até se podem multiplicar em campo, mas dividindo bem as contas a Seleção tem razões para estar confiante. Ao quadrado: a última vez que os espanhóis perderam na fase final de um Europeu foi com... Portugal, em 2004.

Clique para aceder ao índice do dossiê Euro-2012

Ganhas tu, ganho eu 


Olhando apenas para os encontros oficiais, a Espanha ganhou quatro das sete partidas mas passa o exame pelas contas que fez nos anos em que ainda nem sequer havia essa coisa (na altura esquisita) das substituições - em 1934, na qualificação para o Mundial, Portugal perdeu fora (logo por 0-9, a maior goleada de sempre...) e em casa (1-2); em 1950, no apuramento para a mesma prova, nova derrota pesada como visitante (1-5) e empate como visitado (2-2). Mas o melhor estava para vir.

Na fase de grupos do Europeu de 1984, a Seleção até começou a vencer com um golo de Sousa em Marselha (52') mas Santillana (73') acabou por carimbar o empate; já em 2004, não houve recuperações para ninguém - Nuno Gomes decidiu o encontro na segunda parte, através de um fantástico remate de fora da área, e enviou a Espanha de Iñaki Sáez para casa. O último jogo disputado funcionou como vingança da Roja: nos oitavos-de-final do Mundial de 2010, na Cidade do Cabo (África do Sul), um golo de David Villa (que partiu numa posição ligeiramente adiantada) acabou por ditar um triunfo justo. 

À velocidade de um DeLorean


Juntando partidas oficiais com jogos particulares, os espanhóis continuam por cima. Em 35 encontros ganharam quase metade (17), empataram 12 e perderam apenas em seis ocasiões. Mas voltemos novamente ao histórico recente - se programarmos a máquina do tempo para os últimos 50 anos, os números mudam à velocidade de um DeLorean: seis igualdades, quatro triunfos nacionais e somente dois desaires.

Há resultados para todos os gostos, de todas as maneiras e para todos os feitios. Por exemplo, o triunfo espanhol por 3-0 em Guimarães (2003) que muitos ainda hoje dizem ter sido "a melhor coisa que aconteceu a Luiz Felipe Scolari": foi nesse momento que o ex-selecionador percebeu que a rivalidade ibérica não ficava atrás de um Brasil-Argentina, formou o 'seu' grupo para o Euro e corrigiu esse tropeção no jogo a sério do Euro. E, claro, a última partida entre ambos os conjuntos, onde Portugal cilindrou a Espanha campeã europeia e mundial na Luz, por 4-0, na melhor exibição da era Paulo Bento. Os golos de Postiga (dois), Carlos Martins e Hugo Almeida ainda hoje são recordados.


Opinião


Multimédia

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.


Comentários 18 Comentar
ordenar por:
mais votados
Este campeonato europeu de futebol poderá ser
um jogo com cartas viciadas. A Inglaterra sofreu um golo limpo anulado. À Espanha foram-lhes perdoado dois penaltis. E as declarações de Platini que com a responsabilidade do seu alto cargo no futebol europeu fez as declarações que fez. Entretanto as populações entram em extase como que o futebol fosse algo importante para as suas vidas, mas com os poderes politicos a aproveitarem-se para desviarem as atenções para os verdadeiros problemas dos países. Mas espera-se que Portugal consiga o máximo dos objectivos....
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Esperança

Não sendo um grande especialista em futebol parece-me que ao nível mental esta é a melhor selecção de sempre.
Tem 2 ou 3 pontos fracos mas revela uma maturidade e um nível de concentração surpreendentes. Se conseguirmos resolver a má entrada no jogo que tem caracterizado as nossas partidas penso que podemos vencer a Espanha.
Os problemas vão ser:
1.Encontrar o equilíbrio perfeito de Veloso, Meireles e Moutinho entre a destruição e a construção
2.A rigidez congénita de Paulo Bento que joga sempre da mesma maneira

E sorte , claro está!
Re: Esperança
Re: Duelo ibérico: Espanha é melhor mas Portugal e
Como diz o artigo...há resultados para todos os gostos e feitios. No entanto a História pouco ou nada conta para este jogo. Interessa é que Espanha (sendo uma das duas selecções mais capazes) não está tão forte como nas últimas grandes competições. Em contraponto Portugal parece ter encontrado algum equilíbrio e espírito de grupo.
Ainda assim, no fim, a Espanha deverá ganhar porque continua a ser melhor equipa e porque, em caso de dúvida, apitar-se-á para os lados dos vizinhos.
Vai ganhar Portugal, porque a bola é redonda !
Portugal vai ganhar, mesmo que digam que os «ESPAÑUELOS» são melhores !
MOTIVO : - A BOLA é REDONDA e os Portugueses são o MÁXIMO em TUDO ! - Até na paciência ... em aturar os Passos de mau Coelho ou o SALAZAR !
Não vai ser fácil
Os jogadores Espanhóis não passam a bola a ninguém. Só querem jogar entre eles.
Portugal tem de estar preparado...
Enquanto Espanha foi vencendo o último jogo, digo "foi vencendo" pois França não deu luta, não esgotou a Espanha, e esta limitou-se a jogar como queria, não correr e ganhar. Portugal esforçou-se, desgastou-se física e mentalmente para ganhar à Rep. Checa. Porque será que jogadores tão espectaculares que tem a selecção, falham tanto ou não têm jogado bem?? Ao treinador uma dica: os jogadores deram tudo nos seus clubes e agora querem é férias e descanso, mas Paulo Bento o que faz? Treinos e mais treinos. Será que os jogadores não sabem jogar? Será que não treinaram o suficiente antes do Europeu? Agora, mereciam era sim treinar a cabeça, as emoções e descomprimir.. Espanha está como quer... Calma, pouco desgastada, não se cansou muito no último jogo (cada jogador correu em média 5 km durante o jogo todo) convicta que poderá ganhar (as estatisticas jogam a favor deles) terá mais apoio internacional que Portugal (veja-se a Coc. Col. a apoiar desta vez a Espanha e não Portugal). Mas os jogadores Portugueses estão nervosos, pouco concentrados, alguns desgastados, e tudo isso pode complicar a actuação da equipa e mesmo que Portugal ganhe, alguns jogadores poderão estar impedidos de ir à final (quer por lesões quer por cartões).Por isso um conselho a Paulo Bento: mais que treino físico ou tentar saber como Espanha joga (que todos sabemos como é: muitos passes, concentração, controle, finalização quase perfeita), Portugal é quase o oposto.Pensem não a 90 mas a 180 min e mantenham calma
Comentários 18 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub