Anterior
Só a frieza de um basco para aquecer o 'bailarico' da Espanha
Seguinte
Eusébio passa noite no hospital em observação
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Desporto  >  Euro 2012  >   Duelo ibérico: Espanha é melhor mas Portugal está a melhorar

Euro 2012

Duelo ibérico: Espanha é melhor mas Portugal está a melhorar

Os confrontos entre Espanha e Portugal andam com uma toada de ataque e contra-ataque: em 2003, o 0-3 num particular em Guimarães foi vingado com 1-0 na fase de grupos do Euro-2004; em 2010, o 0-1 nos 'oitavos' do Mundial foi devolvido seis meses depois com um 4-0 na Luz. Como será quarta-feira?

Clique para visitar o dossiê Euro 2012
|
A Seleção tem razões para estar confiante
A Seleção tem razões para estar confiante / Bartlomiej Zborowski/EPA

Clique para aceder ao índice do Dossiê Euro 2012
Não havia muito por onde escolher: entre Espanha e França, venha o Diabo e escolha. Pelo menos olhando para o histórico, onde os portugueses são 'anjinhos' que começaram a perder e quando tentam subtrair a diferença acabam por somar derrotas. São ou... eram - a história tem vindo a mudar. Calhou em sorte a Roja nas meias-finais (quarta-feira, 19h45, SIC e SportTV1). Ok, eles até se podem multiplicar em campo, mas dividindo bem as contas a Seleção tem razões para estar confiante. Ao quadrado: a última vez que os espanhóis perderam na fase final de um Europeu foi com... Portugal, em 2004.

Clique para aceder ao índice do dossiê Euro-2012

Ganhas tu, ganho eu 


Olhando apenas para os encontros oficiais, a Espanha ganhou quatro das sete partidas mas passa o exame pelas contas que fez nos anos em que ainda nem sequer havia essa coisa (na altura esquisita) das substituições - em 1934, na qualificação para o Mundial, Portugal perdeu fora (logo por 0-9, a maior goleada de sempre...) e em casa (1-2); em 1950, no apuramento para a mesma prova, nova derrota pesada como visitante (1-5) e empate como visitado (2-2). Mas o melhor estava para vir.

Na fase de grupos do Europeu de 1984, a Seleção até começou a vencer com um golo de Sousa em Marselha (52') mas Santillana (73') acabou por carimbar o empate; já em 2004, não houve recuperações para ninguém - Nuno Gomes decidiu o encontro na segunda parte, através de um fantástico remate de fora da área, e enviou a Espanha de Iñaki Sáez para casa. O último jogo disputado funcionou como vingança da Roja: nos oitavos-de-final do Mundial de 2010, na Cidade do Cabo (África do Sul), um golo de David Villa (que partiu numa posição ligeiramente adiantada) acabou por ditar um triunfo justo. 

À velocidade de um DeLorean


Juntando partidas oficiais com jogos particulares, os espanhóis continuam por cima. Em 35 encontros ganharam quase metade (17), empataram 12 e perderam apenas em seis ocasiões. Mas voltemos novamente ao histórico recente - se programarmos a máquina do tempo para os últimos 50 anos, os números mudam à velocidade de um DeLorean: seis igualdades, quatro triunfos nacionais e somente dois desaires.

Há resultados para todos os gostos, de todas as maneiras e para todos os feitios. Por exemplo, o triunfo espanhol por 3-0 em Guimarães (2003) que muitos ainda hoje dizem ter sido "a melhor coisa que aconteceu a Luiz Felipe Scolari": foi nesse momento que o ex-selecionador percebeu que a rivalidade ibérica não ficava atrás de um Brasil-Argentina, formou o 'seu' grupo para o Euro e corrigiu esse tropeção no jogo a sério do Euro. E, claro, a última partida entre ambos os conjuntos, onde Portugal cilindrou a Espanha campeã europeia e mundial na Luz, por 4-0, na melhor exibição da era Paulo Bento. Os golos de Postiga (dois), Carlos Martins e Hugo Almeida ainda hoje são recordados.


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 18 Comentar
ordenar por:
mais votados
Este campeonato europeu de futebol poderá ser
um jogo com cartas viciadas. A Inglaterra sofreu um golo limpo anulado. À Espanha foram-lhes perdoado dois penaltis. E as declarações de Platini que com a responsabilidade do seu alto cargo no futebol europeu fez as declarações que fez. Entretanto as populações entram em extase como que o futebol fosse algo importante para as suas vidas, mas com os poderes politicos a aproveitarem-se para desviarem as atenções para os verdadeiros problemas dos países. Mas espera-se que Portugal consiga o máximo dos objectivos....
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Re: Este campeonato europeu de futebol poderá ser
Esperança

Não sendo um grande especialista em futebol parece-me que ao nível mental esta é a melhor selecção de sempre.
Tem 2 ou 3 pontos fracos mas revela uma maturidade e um nível de concentração surpreendentes. Se conseguirmos resolver a má entrada no jogo que tem caracterizado as nossas partidas penso que podemos vencer a Espanha.
Os problemas vão ser:
1.Encontrar o equilíbrio perfeito de Veloso, Meireles e Moutinho entre a destruição e a construção
2.A rigidez congénita de Paulo Bento que joga sempre da mesma maneira

E sorte , claro está!
Re: Esperança
Re: Duelo ibérico: Espanha é melhor mas Portugal e
Como diz o artigo...há resultados para todos os gostos e feitios. No entanto a História pouco ou nada conta para este jogo. Interessa é que Espanha (sendo uma das duas selecções mais capazes) não está tão forte como nas últimas grandes competições. Em contraponto Portugal parece ter encontrado algum equilíbrio e espírito de grupo.
Ainda assim, no fim, a Espanha deverá ganhar porque continua a ser melhor equipa e porque, em caso de dúvida, apitar-se-á para os lados dos vizinhos.
Vai ganhar Portugal, porque a bola é redonda !
Portugal vai ganhar, mesmo que digam que os «ESPAÑUELOS» são melhores !
MOTIVO : - A BOLA é REDONDA e os Portugueses são o MÁXIMO em TUDO ! - Até na paciência ... em aturar os Passos de mau Coelho ou o SALAZAR !
Não vai ser fácil
Os jogadores Espanhóis não passam a bola a ninguém. Só querem jogar entre eles.
Portugal tem de estar preparado...
Enquanto Espanha foi vencendo o último jogo, digo "foi vencendo" pois França não deu luta, não esgotou a Espanha, e esta limitou-se a jogar como queria, não correr e ganhar. Portugal esforçou-se, desgastou-se física e mentalmente para ganhar à Rep. Checa. Porque será que jogadores tão espectaculares que tem a selecção, falham tanto ou não têm jogado bem?? Ao treinador uma dica: os jogadores deram tudo nos seus clubes e agora querem é férias e descanso, mas Paulo Bento o que faz? Treinos e mais treinos. Será que os jogadores não sabem jogar? Será que não treinaram o suficiente antes do Europeu? Agora, mereciam era sim treinar a cabeça, as emoções e descomprimir.. Espanha está como quer... Calma, pouco desgastada, não se cansou muito no último jogo (cada jogador correu em média 5 km durante o jogo todo) convicta que poderá ganhar (as estatisticas jogam a favor deles) terá mais apoio internacional que Portugal (veja-se a Coc. Col. a apoiar desta vez a Espanha e não Portugal). Mas os jogadores Portugueses estão nervosos, pouco concentrados, alguns desgastados, e tudo isso pode complicar a actuação da equipa e mesmo que Portugal ganhe, alguns jogadores poderão estar impedidos de ir à final (quer por lesões quer por cartões).Por isso um conselho a Paulo Bento: mais que treino físico ou tentar saber como Espanha joga (que todos sabemos como é: muitos passes, concentração, controle, finalização quase perfeita), Portugal é quase o oposto.Pensem não a 90 mas a 180 min e mantenham calma
Comentários 18 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub