0
Anterior
Bendtner diz que golos a Portugal são só uma coincidência
Seguinte
Croácia pode ser primeira apurada para quartos de final
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Desporto  >  Euro 2012  >   Duas faenas de "El Torero" nos egos da Holanda

Duas faenas de "El Torero" nos egos da Holanda

Mario Gómez é o avançado da moda: parece trapalhão, às vezes desajeitado, mas quando apanha a bola na área... é golo. E foi assim que a Alemanha (duas vitórias) ganhou por 2-1 à Holanda (duas derrotas). Clique para visitar o dossiê Euro-2012  
|
Mario Gómez, o avançado da moda, e Joris Mathijsen
Mario Gómez, o avançado da moda, e Joris Mathijsen / Thomas Bohlen/Reuters

É um dos encontros com mais história no futebol europeu: Alemanha e Holanda já se tinham encontrado 38 vezes, com ligeiro destaque para os germânicos (14-10, mais 14 empates). Por norma, são encontros equilibrados, divididos, quiçá históricos. Tudo o que este jogo não foi: os alemães foram sempre superiores e estiveram mais perto de ampliar a vantagem numa partida sem história.

Clique para aceder ao índice do dossiê Euro-2012

Mario Gómez, "El Torero" que tem sangue espanhol, foi o matador de serviço da Alemanha (que é uma equipa, na essência da palavra) contra uma Holanda (que não passa de um conjunto de grandes jogadores, qualquer que seja a perspetiva) que continua a zero no Euro: nos pontos e, praticamente, nas ambições que tem para a prova. 

O MINUTO 24', o primeiro golo de Gómez. Pela importância de desbloquear o jogo mas sobretudo pela execução técnica digna dos melhores - apanhou a bola de costas com uma recepção orientada (mais um termo da moda) de pé esquerdo e disparou de primeira com o pé direito

O MOMENTO O golo de Van Persie (73'), que ainda trouxe a ilusão de um final de jogo mais disputado. Mas não passou disso, uma ilusão - com mais ou menos homens na frente, a Alemanha conseguiu sempre controlar as ténues tentativas holandesas de chegar ao empate

O HERÓI "El Torero", o MVP do encontro. Um dos melhores avançados da atualidade que mistura a frieza - na hora de rematar e até de... festejar - alemã (da parte da mãe) com a explosão e sangue quente espanhol (da parte do pai). E respondeu às críticas do ex-internacional Mehmet Scholl, que dizia que Gómez tinha de trabalhar mais para a equipa - será que mais dois golos chegarão para que mude de opinião?

A ESTRELA Schweinsteiger. O médio do Bayern até marcou o penálti decisivo em Madrid que qualificou os bávaros para a final da Champions mas acabou mal a época, a falhar uma grande penalidade com o Chelsea e a travar pequenas batalhas contra lesões. Agora ressurgiu: duas assistências para golo e um sem número de recuperações de bola mostram que a referência do meio-campo alemão está de volta

O JOKER Hummels, de longe o melhor central alemão da atualidade que, pouco antes do Euro, ainda era dúvida nas opções iniciais de Löw. Agora já ninguém se lembra de Mertesacker - o jogador do Borussia Dortmund joga bem na antecipação, domina por completo pelo ar e tem ainda a valência de sair (bem) com a bola controlada quando os adversários pressionam um pouco mais alto

O VILÃO Mathijsen, que fez tudo por tudo para recuperar de uma lesão e poder alinhar com a Alemanha (já tinha falhado o encontro com a Dinamarca) mas fez pouco ou nada para travar a referência atacante dos germânicos. Ou se calhar também não havia nada a fazer...

O SEGREDO A entrada da Alemanha: a pressionar alto, a colocar muitos homens na zona de finalização e a fazer tudo para chegar cedo à vantagem. Conseguiu e, a partir daí, colocou ainda mais pressão numa equipa holandesa que já entrava a jogar sob brasas. E ficou a arder

O ERRO Há quem lhe chame crença, outros filosofia. Mas em português corrente só tem um nome - teimosia. Bert van Marwijk, que já anda 'pegado' com a imprensa desde maio, quis mostrar que ele é que manda na equipa e apostou no mesmo onze (à exceção de Mathijsen, que recuperou de lesão). Ao intervalo teve de dar o braço a torcer com uma dupla substituição que colocou em campo Van der Vaart e Huntelaar...

O NÚMERO 15, o número de vitórias da Alemanha sobre a Holanda em 39 encontros, esta mais especial porque pode colocar de fora um 'rival' que já não falha a passagem da fase de grupos em campeonatos da Europa desde 1980

O ACONTECIMENTO A imprensa alemã é como Angela Merkel - quando não tem nada para fazer ou escrever, cria factos. Mas, neste caso, a imprensa tem um pouco mais de noções históricas e geográficas - os comandados de Löw tinham um trauma com o segundo jogo da fase de grupos, depois das derrotas no Mundial de 2010 (com a Sérvia) e no Euopeu de 2008 (com a Croácia). Se havia, está superado

O AMANHàA Alemanha necessita apenas de um ponto para se qualificar e, em paralelo, assegurar o primeiro lugar do grupo. E só mesmo uma derrota com a Dinamarca, aliada a uma vitória de Portugal, poderia baralhar estas contas quase certas. Tão certas como as da Holanda - tem de ganhar a Portugal por dois golos de diferença e esperar que a Dinamarca perca com a Alemanha para ainda poder passar...

FICHA DE JOGO Estádio do Metalist Kharkiv (Ucrânia). Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia). Holanda: Stekelenburg; Van der Wiel, Heitinga, Mathijsen, Willems; Van Bommel (Van der Vaart, 46'), De Jong; Robben (Kuyt, 83'), Sneijder, Affelay (Huntelaar, 46'); Van Persie. Treinador: Bert van Marwijk. Alemanha: Neuer; Boateng, Hummels, Badstuber, Lahm; Khedira, Schweinsteiger; Müller (Bender, 90+2'), Özil (Kroos, 81'), Podolski; Mario Gómez (Klose, 72'). Treinador: Joachim Löw. Golos: 0-1, Gómez (24'); 0-2, Gómez (38'); 1-2, Van Persie (73'). Cartões amarelos: De Jong (80'), Boateng (87') e Willems (90')


Opinião


Multimédia

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 0 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub