0
Anterior
Bendtner diz que golos a Portugal são só uma coincidência
Seguinte
Croácia pode ser primeira apurada para quartos de final
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Desporto  >  Euro 2012  >   Duas faenas de "El Torero" nos egos da Holanda

Duas faenas de "El Torero" nos egos da Holanda

Mario Gómez é o avançado da moda: parece trapalhão, às vezes desajeitado, mas quando apanha a bola na área... é golo. E foi assim que a Alemanha (duas vitórias) ganhou por 2-1 à Holanda (duas derrotas). Clique para visitar o dossiê Euro-2012  
|
Mario Gómez, o avançado da moda, e Joris Mathijsen
Mario Gómez, o avançado da moda, e Joris Mathijsen / Thomas Bohlen/Reuters

É um dos encontros com mais história no futebol europeu: Alemanha e Holanda já se tinham encontrado 38 vezes, com ligeiro destaque para os germânicos (14-10, mais 14 empates). Por norma, são encontros equilibrados, divididos, quiçá históricos. Tudo o que este jogo não foi: os alemães foram sempre superiores e estiveram mais perto de ampliar a vantagem numa partida sem história.

Clique para aceder ao índice do dossiê Euro-2012

Mario Gómez, "El Torero" que tem sangue espanhol, foi o matador de serviço da Alemanha (que é uma equipa, na essência da palavra) contra uma Holanda (que não passa de um conjunto de grandes jogadores, qualquer que seja a perspetiva) que continua a zero no Euro: nos pontos e, praticamente, nas ambições que tem para a prova. 

O MINUTO 24', o primeiro golo de Gómez. Pela importância de desbloquear o jogo mas sobretudo pela execução técnica digna dos melhores - apanhou a bola de costas com uma recepção orientada (mais um termo da moda) de pé esquerdo e disparou de primeira com o pé direito

O MOMENTO O golo de Van Persie (73'), que ainda trouxe a ilusão de um final de jogo mais disputado. Mas não passou disso, uma ilusão - com mais ou menos homens na frente, a Alemanha conseguiu sempre controlar as ténues tentativas holandesas de chegar ao empate

O HERÓI "El Torero", o MVP do encontro. Um dos melhores avançados da atualidade que mistura a frieza - na hora de rematar e até de... festejar - alemã (da parte da mãe) com a explosão e sangue quente espanhol (da parte do pai). E respondeu às críticas do ex-internacional Mehmet Scholl, que dizia que Gómez tinha de trabalhar mais para a equipa - será que mais dois golos chegarão para que mude de opinião?

A ESTRELA Schweinsteiger. O médio do Bayern até marcou o penálti decisivo em Madrid que qualificou os bávaros para a final da Champions mas acabou mal a época, a falhar uma grande penalidade com o Chelsea e a travar pequenas batalhas contra lesões. Agora ressurgiu: duas assistências para golo e um sem número de recuperações de bola mostram que a referência do meio-campo alemão está de volta

O JOKER Hummels, de longe o melhor central alemão da atualidade que, pouco antes do Euro, ainda era dúvida nas opções iniciais de Löw. Agora já ninguém se lembra de Mertesacker - o jogador do Borussia Dortmund joga bem na antecipação, domina por completo pelo ar e tem ainda a valência de sair (bem) com a bola controlada quando os adversários pressionam um pouco mais alto

O VILÃO Mathijsen, que fez tudo por tudo para recuperar de uma lesão e poder alinhar com a Alemanha (já tinha falhado o encontro com a Dinamarca) mas fez pouco ou nada para travar a referência atacante dos germânicos. Ou se calhar também não havia nada a fazer...

O SEGREDO A entrada da Alemanha: a pressionar alto, a colocar muitos homens na zona de finalização e a fazer tudo para chegar cedo à vantagem. Conseguiu e, a partir daí, colocou ainda mais pressão numa equipa holandesa que já entrava a jogar sob brasas. E ficou a arder

O ERRO Há quem lhe chame crença, outros filosofia. Mas em português corrente só tem um nome - teimosia. Bert van Marwijk, que já anda 'pegado' com a imprensa desde maio, quis mostrar que ele é que manda na equipa e apostou no mesmo onze (à exceção de Mathijsen, que recuperou de lesão). Ao intervalo teve de dar o braço a torcer com uma dupla substituição que colocou em campo Van der Vaart e Huntelaar...

O NÚMERO 15, o número de vitórias da Alemanha sobre a Holanda em 39 encontros, esta mais especial porque pode colocar de fora um 'rival' que já não falha a passagem da fase de grupos em campeonatos da Europa desde 1980

O ACONTECIMENTO A imprensa alemã é como Angela Merkel - quando não tem nada para fazer ou escrever, cria factos. Mas, neste caso, a imprensa tem um pouco mais de noções históricas e geográficas - os comandados de Löw tinham um trauma com o segundo jogo da fase de grupos, depois das derrotas no Mundial de 2010 (com a Sérvia) e no Euopeu de 2008 (com a Croácia). Se havia, está superado

O AMANHàA Alemanha necessita apenas de um ponto para se qualificar e, em paralelo, assegurar o primeiro lugar do grupo. E só mesmo uma derrota com a Dinamarca, aliada a uma vitória de Portugal, poderia baralhar estas contas quase certas. Tão certas como as da Holanda - tem de ganhar a Portugal por dois golos de diferença e esperar que a Dinamarca perca com a Alemanha para ainda poder passar...

FICHA DE JOGO Estádio do Metalist Kharkiv (Ucrânia). Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia). Holanda: Stekelenburg; Van der Wiel, Heitinga, Mathijsen, Willems; Van Bommel (Van der Vaart, 46'), De Jong; Robben (Kuyt, 83'), Sneijder, Affelay (Huntelaar, 46'); Van Persie. Treinador: Bert van Marwijk. Alemanha: Neuer; Boateng, Hummels, Badstuber, Lahm; Khedira, Schweinsteiger; Müller (Bender, 90+2'), Özil (Kroos, 81'), Podolski; Mario Gómez (Klose, 72'). Treinador: Joachim Löw. Golos: 0-1, Gómez (24'); 0-2, Gómez (38'); 1-2, Van Persie (73'). Cartões amarelos: De Jong (80'), Boateng (87') e Willems (90')


Opinião


Multimédia

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.


Comentários 0 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub