24 de abril de 2014 às 19:45
Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Atualidade  ⁄  Escândalo DSK  ⁄  DSK poderá voltar à política

DSK poderá voltar à política

Dominique Strauss-Kahn, antigo diretor do FMI, "não tenciona dar dinheiro" a Nafissatou Diallo, diz advogado. A um mês das eleições primárias no Partido Socialista francês, a volta de DSK à política não está posta de parte.Clique para visitar o dossiê Escândalo DSK
Lusa e El País
Manifestantes à porta do tribunal em Manhattan em protesto, ontem, contra a libertação de DSK John Minchilo/AP Manifestantes à porta do tribunal em Manhattan em protesto, ontem, contra a libertação de DSK

Um dos dois advogados de Dominique Strauss-Kahn, Benjamin Brafman, afirmou que o seu cliente não tenciona dar dinheiro à alegada vítima de violação, Nafissatou Diallo, numa entrevista hoje publicada pelo "Aujourd'hui no France/Le Parisien". 

Clique para aceder ao índice do dossiê Escândalo DSK

"É preciso que fique claro para os franceses: DSK não tem qualquer intenção e nunca teve qualquer intenção de lhe dar dinheiro", declarou. Segundo o advogado, a queixosa "não sofreu prejuízo" e DSK está "inocente".

Entretanto, a um mês da eleições primárias dentro do partido socialista (que vai definir quem irá concorrer nas presidenciais), enquanto os socialistas celebraram esta noite a libertação de DSK e questionam sobre o seu futuro político, a  deputada e ex-ministra comunista Marie-George Buffet  lamentou que o processo tenha sido arquivado,  o que considera "uma má notícia para a justiça e para as mulheres".

Processo civil pode ser arquivado


Benjamin Brafman considerou igualmente que o processo instaurado na justiça civil também "vai falhar como o procedimento penal". "Se a palavra desta mulher não foi considerada credível uma vez, não o será uma segunda vez", acrescentou.

O abandono de todas as acusações põe fim ao processo penal, mas DSK não ficou completamente livre da alçada da justiça norte-americana.

Os advogados de Diallo apresentaram no princípio de agosto um processo civil perante um tribunal do Bronx para obter uma compensação financeira pelos danos causados por DSK na sua cliente.

Socialistas celebram libertação de DSK 


Ontem à noite, segundo o "El País", os socialistas  franceses, liderados pela primeira secretária do partido, Martine Aubry,  celebraram "com alívio" o arquivamento das queixas contra DSK, que era o seu principal candidato às presidenciais do próximo ano.

Martine Aubry,  uma das principais candidatas nas eleições primárias de outubro,  manteve contato quase diário com o casal Strauss-Khan desde o início do escândalo e disse que está contente com o desfecho, por ele e por Anne Sinclair, a mulher do antigo homem forte do FMI. 

A líder socialista deixa a porta aberta a um regresso à política de DSK, o que embora pareça difícil mas está na mente de todos. "Espero que isso (arquivamento do processo) também nos  leve a acreditar na palavra de Dominique Strauss-Khan".

François Hollande, principal rival de Aubry, por sua vez, afirmou que "os conhecimentos económicos de DSK podem ser úteis para o país"

Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Esse é um filme antigo,
sempre em cartaz nas melhores esquinas do mundo. Rio Grande
socialistas celebram libertação de DSK ...


já vi um filme semelhante em Portugal !!

E o relatorio medico que confirma indicios de violação ? Os medicos tambem não são crediveis ?

vai ser arquivado da mesma forma que foi arquivado o relatorio do outro bacano que fez cirurgua para remover um sinal comprometedor ?

Voltar há vida activa
Finalmente o Sr. DSK está livre para poder voltar á sua vida normal, ou seja á violações.
Homens...
Os maricas não gostam nada de quem gosta de mulheres....
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub