Siga-nos

Perfil

Expresso

PME convida PME

"Faltam políticas públicas integradas", diz Rogério Carapuça

Presidente da Novabase defende que o mercado por si só não vai corrigir os desequilíbrios entre o litoral e o interior. É preciso uma nova geração de políticas públicas.

"Há tantas coisas que em Portugal se fazem melhor do que noutras zonas do mundo", afirmou peremptório Rogério Carapuça, presidente da Novabase. Segundo o responsável, o país tem capacidade de inovar e aposta nos mercados internacionais, além disso tem capital humano que se relaciona facilmente com outras culturas, o que constitui uma mais-valia.  "Qual é então o problema de Portugal? Falta sobretudo auto-estima", disse Rogério Carapuça, na segunda Conferência "PME convida PME: Pequenas e Médias Empresas como motor de desenvolvimento do interior", organizada pela revista Exame e o Banco Popular, que decorreu em Évora. Para o CEO da Novabase, o país está distorcido a favor do litoral, sendo que o interior tem fortes potencialidades para aproveitar.

Promover crescimento e emprego

"É preciso utilizar a iniciativa do Estado para promover ativamente a revitalização do interior através de uma nova geração de políticas públicas para a criação de atividade económica e de emprego no interior do país", disse o responsável. Durante a sua intervenção, Rogério Carapuça sublinhou que as  "políticas públicas devem ser integradas" com os vários Ministérios. Por outro lado, é preciso que a implementação dessas políticas públicas seja avaliada a nível internacional e que a burocracia seja reduzida. Para promover o desenvolvimento do interior defendeu ainda que é preciso fixar instituições de referência nessas zonas, dando como exemplo o Laboratório de Nanotecnologia em Braga. Rogério Carapuça considera também que é preciso apostar nos contratos de parcerias estratégicas entre o Governo e as grandes empresas que investem em I&D e conceder benefícios fiscais para apoiar as empresas que se fixem no interior.