Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

WikiLeaks

WikiLeaks: Fundador ameaça revelar mais informações caso alguma coisa lhe aconteça

  • 333

Julian Assange, o fundador do polémico WikiLeaks, disse hoje que caso algo lhe aconteça, as partes principais de documentos secretos e telegramas serão "reveladas automaticamente". Clique para visitar o dossiê WikiLeaks.

O arquivo dos documentos diplomáticos secretos que o site WikiLeaks tem estado a divulgar está distribuído por milhares de pessoas e as partes principais serão "reveladas automaticamente" se algo acontecer ao fundador, avisou o próprio Julian Assange.

Clique para aceder ao índice do DOSSIÊ WikiLeaks

Numa entrevista na página de Internet do diário britânico "The Guardian", Assange respondeu enigmaticamente à questão de algo acontecer ao site ou a ele próprio, vítima de ameaças de morte e objeto de um mandado de captura.

"O arquivo do Cable Gate [caso dos telegramas] foi espalhado, juntamente com material dos EUA e de outros países por mais de 100 mil pessoas num formato codificado", afirmou.

Acrescentou que "se algo nos acontecer, as partes principais serão reveladas automaticamente" e lembrou que os telegramas foram entregues a várias organizações de imprensa.

Os jornais "Guardian" (Reino Unido), "El País" (Espanha), "Le Monde" (França), "Der Spiegel" (Alemanha) e "New York Times" (EUA) começaram a divulgar em 28 de novembro telegramas de uma série de 250 mil documentos diplomáticos norte-americanos recebidos pelo WikiLeaks.

Hoje o site esteve desativado após a interrupção pelo servidor, tendo antes sido "desalojado" pela Amazon.

Mandados de captura

Ao mesmo tempo que o site foi encerrado, a imprensa britânica comenta a hipótese de a polícia britânica deter o fundador do WikiLeaks nos próximos dias.

A Interpol indicou na terça-feira ter emitido um mandado de captura internacional contra Julian Assange, procurado na Suécia no âmbito de uma investigação por "violação e agressão sexual" a duas mulheres.

A 18 de novembro, a justiça sueca lançou um mandado de captura contra o australiano de 39 anos para o interrogar "por suspeitas razoáveis de violação, agressão sexual e coerção", crimes alegadamente cometidos em agosto deste ano.

Sobre o impacto do seu trabalho, Assange está convencido que "a história vencerá" e que o mundo será elevado a um nível melhor.

"Sobreviveremos? Depende de vós", disse.