Siga-nos

Perfil

Expresso

Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente

Porta-voz de Kadhafi tentou fugir disfarçado de mulher

Moussa Ibrahim, antigo porta-voz de Muammar Kadhafi, foi apanhado pelos rebeldes quando tentava escapar de Sirte vestido de mulher. Clique para visitar o Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente

Tiago Oliveira (www.expresso.pt)

À medida que os rebeldes líbios vão tentando garantir o controlo das partes do território do país que ainda está sob o controlo de forças leais ao deposto ditador Muammar Kadhafi, muitas figuras do antigo regime procuram escapar das garras do Conselho Nacional de Transição.

Clique para aceder ao índice do Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente O antigo porta-voz de Muammar Kadhafi, Moussa Ibrahim, foi detido quando tentava escapar de Sirte, a cidade natal do deposto ditador, onde se têm registado intensos combates na última semana. Moussa Ibrahim foi alegadamente apanhado nos arredores de Sirte vestido de mulher, numa tentativa de passar despercebido pelas forças que andavam no seu encalço. 

Figuras do regime em fuga

A detenção foi confirmada por um comandante do Conselho Nacional de Transição, em declarações reproduzidas pelo "Daily Telegraph": "Moussa Ibrahim foi capturado por combatentes originários de Misurata quando conduzia para fora de Sirte".

Recorde-se que Moussa Ibrahim foi uma das figuras com maior visibilidade no início da revolta contra Muammar Kadhafi aparecendo frequentemente aos jornalistas ocidentais no Rixos Hotel em Tripoli, onde dava a versão do regime quanto aos acontecimentos.

O grande objetivo dos rebeldes continua a ser a captura de Muammar Kadhafi, cujo paradeiro ainda é desconhecido, embora a suspeita de que o antigo ditador esteja escondido nos arredores de Sirte seja muito elevada. A cidade continua sob controlo das forças leais ao antigo regime.

Após grande parte da família de Kadhafi ter conseguido fugir para a Argélia e o antigo primeiro-ministro Al-Baghdadi Ali al-Mahmoudi ter aparecido na Tunísia (onde agora aguarda pela conclusão e um processo de extradição), os rebeldes não querem deixar escapar mais figuras da ditadura. Uma das mais visíveis já não escapa.