Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Geração à Rasca

"Geração à rasca" dá lugar a "Fórum das Gerações"

  • 333

O protesto da "Geração à rasca" tem desde o início da tarde no Facebook um novo espaço de debate, "Fórum das Gerações - 12/3 e o Futuro", ao qual já aderiram mais de três mil pessoas. Clique para visitar o dossiê Geração à Rasca

O protesto da "Geração à rasca", que reuniu cerca de 300 mil pessoas em todo o país, tem desde o início da tarde no Facebook um novo espaço de debate "Fórum das Gerações - 12/3 e o Futuro" ao qual já aderiram mais de três mil pessoas.    

Clique para aceder ao índice do dossiê Geração à Rasca Depois da manifestação que levou para as ruas milhares de portugueses, a organização do protesto encerrou oficialmente o evento no Facebook às 15h30 e criou uma nova página permanente para debate de soluções para o país.      Em pouco tempo, este novo espaço recebeu já dezenas de comentários.

Reunir as pessoas que participaram 

Em declarações à Lusa, Paula Gil, da organização do protesto, explicou que o fórum pretende reunir as pessoas que participaram ativamente, contribuindo assim "para uma democracia mais participativa".     O objetivo do protesto de sábado, explicou, era esse mesmo, levar as pessoas a contribuir de uma forma positiva e ativa para a criação de soluções.

"Ficamos a espera que nos enviem soluções" 

Paralelamente, adiantou Paula Gil, a organização apela a todos os que não entregaram durante a manifestação do dia 12 a folha A4 com uma solução ou um conjunto de soluções para a resolução dos problemas do país, que o façam agora para o email geracaoarasca@gmail.com.     "Ficamos a espera que nos enviem soluções que considerem positivas", disse.  

Demonstração da dimensão da precariedade em Portugal 

Relativamente ao protesto de sábado em várias cidades do país, Paula Gil explicou que superou todas as expetativas e que permitiu a consciencialização coletiva da dimensão da precariedade em Portugal.     "Se calhar não havia uma consciencialização de que atingia tanta gente. Só pelo facto de percebermos que pelo menos metade da população ativa portuguesa está desempregada ou precária e que o problema afeta toda a gente já valeu a pena", frisou.     O protesto "Geração à rasca", adiantou, demonstrou que este é um fenómeno transversal que afeta mães, pais, avós, filhos e netos.