Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Face Oculta

Godinho já foi libertado

  • 333

Bastante mais magro e combalido, Manuel Godinho saiu hoje da cadeia de Aveiro ao cabo de 16 meses de detenção. (Vídeo SIC no final do artigo) Clique para visitar o Dossiê Face Oculta

O sucateiro Manuel Godinho, único preso preventivo do processo Face Oculta, foi libertado esta manhã da cadeia de Aveiro.

Clique para aceder ao índice do Dossiê Face Oculta

À saída do estabelecimento prisional, Manuel Godinho encontrava-se bastante combalido e mais magro, segundo constatou o Expresso. Manuel Godinho não fez qualquer declaração aos jornalistas que o aguardavam e o seu filho mais velho, Paulo Godinho, afirmou ao Expresso que o pai não falará à imprensa antes do julgamento, remetendo para o seu advogado, Artur Marques, quaisquer esclarecimentos relacionados com o megaprocesso.

Manuel Godinho foi transportado para sua casa, em Esmoriz, Ovar, na zona norte do distrito de Aveiro, num BMW cinzento conduzido pelo seu filho João Godinho, também arguido no processo Face Oculta.

Apresentações diárias na GNR

O empresário foi proibido pelo juiz Carlos Alexandre de ausentar-se da cidade de Esmoriz, freguesia onde reside, não podendo deslocar-se para o estrangeiro sem a prévia autorização do Tribunal Central de Instrução Criminal, que dispõe já do seu passaporte.

A partir de hoje Manuel Godinho tem de apresentar-se diariamente no posto da GNR de Esmoriz, estando proibido de contactar com arguidos ou testemunhas do processo Face Oculta, à exceção dos que são seus familiares, entre os quais o filho mais novo (João Godinho) e ainda um sobrinho (Hugo Godinho).

A libertação ficou a dever-se a ter sido hoje atingido o prazo máximo de prisão preventiva, que é de 16 meses, sem estar concluída a instrução do processo, o que está previsto dentro de duas semanas com a leitura da decisão instrutória.

Só nessa ocasião, a 14 de Março, no Tribunal de Monsanto, o juiz Carlos Alexandre revelará que arguidos serão submetidos a julgamento e qual o tipo de acusações. Há 35 pessoas e duas empresas constituídas arguidas.

O empresário de Ovar era o único preso preventivo do caso judicial relacionado com os alegados esquemas de favorecimento visando a adjudicação de concursos junto de empresas públicas e envolvendo supostamente antigos governantes socialistas, como o ex-ministro Armando Vara e o ex-secretário de Estado José Penedos, o seu filho Paulo Penedos, advogado e à data dos factos consultor da Portugal Telecom, além de alguns quadros superiores de empresas do sector empresarial do Estado.

Saúde piorou na prisão

Manuel Godinho debate-se, entretanto, com graves problemas de saúde e segundo fontes familiares revelaram hoje ao Expresso, a permanência na moradia "permitirá tratar melhor da diabetes e da insuficiência cardíaca" de que padece o principal arguido do megaprocesso Face Oculta.

A libertação de Manuel Godinho, esta manhã, poderá ainda evitar a eventual amputação de uma perna, segundo os médicos que têm acompanhado o seu estado de saúde nos últimos meses na cadeia de Aveiro.

Preso desde 28 de Outubro de 2009

Manuel Godinho, de 55 anos, preso preventivamente desde o dia 28 de Outubro de 2009, encontra-se com graves problemas de saúde, quer a nível diabético, quer em termos cardíacos, o que foi confirmado a 17 de Fevereiro em Coimbra pelos peritos do Instituto Nacional de Medicina Legal.

A principal empresa de Manuel Godinho arrematou na semana passada sucata no valor de quase um milhão e meio de euros. A empresa 02, de Manuel Godinho, que hoje de manhã foi libertado da cadeia de Aveiro, arrematou o recheio da fábrica Oliva e comprou ainda um navio, ambos para sucata, apurou hoje o Expresso.

Segundo o advogado Noé Teixeira, um dos responsáveis da empresa o2 (a principal das duas firmas de Manuel Godinho que também são arguidas no processo Face Oculta), o recheio da antiga Oliva, sediada em São João da Madeira, foi licitado por um milhão e 400 mil euros. "Oferecemos 200 mil euros mais do que o segundo concorrente", adiantou ao Expresso Noé Teixeira.

De acordo com o jurista das empresas de Manuel Godinho, "comprámos também por 60 mil euros o navio "North Sea Coast", abatido ao serviço no porto de Aveiro, que vai ser desmantelado para sucata". Noé Teixeira, que falava ao expresso à porta da cadeia de Aveiro, disse ainda que "para a compra do navio não houve mais nenhum interessado além da nossa empresa".

Noé Teixeira salienta que a o2 - com instalações em Ovar e em Canas de Senhorim - "continua a operar diariamente no mercado e está devidamente certificada". Aquando do início da prisão preventiva de Manuel Godinho, a 28 de outubro de 2009, a 02 ganhou um concurso para a compra de sucata ao Exército português.