Siga-nos

Perfil

Expresso

Face Oculta

Face Oculta: Manuel Godinho fica em prisão preventiva

O empresário de Ovar, principal arguido no processo "Face Oculta", vai ficar em prisão preventiva até julgamento, decidiu o juiz de Instrução Criminal. Clique para visitar o DOSSIÊ FACE OCULTA

O empresário Manuel Godinho, detido quarta-feira passada no âmbito da operação "Face Oculta", ficou hoje à noite em prisão preventiva, por decisão do juiz de Instrução Criminal, disse à Lusa fonte policial.

Clique para aceder ao índice do DOSSIÊ FACE OCULTA Manuel José Godinho deixou às 22:13 as instalações do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Aveiro, depois de ter sido ouvido durante várias horas, desde manhã, com intervalos para o almoço e o jantar. Manuel José Godinho foi ouvido pelo juiz de Instrução Criminal da Comarca do Baixo Vouga. O empresário saiu esta noite das instalações do DIAP de Aveiro numa viatura da Polícia Judiciária (PJ). O seu advogado, Pedro Teixeira, recusou prestar declarações aos jornalistas à saída do DIAP.

14 arguidos no processo

Manuel José Godinho foi a única pessoa detida durante a operação "Face Oculta", realizada na quarta-feira pela PJ em vários pontos do país, no âmbito de uma investigação relacionada com alegados crimes económicos de um grupo empresarial de Ovar que integra a O2-Tratamento e Limpezas Ambientais, a que está ligado aquele empresário. No decurso da operação foram efectuadas cerca de 30 buscas, domiciliárias e a postos de trabalho, e 14 pessoas foram constituídas arguidas, incluindo Armando Vara, vice-presidente do Millennium BCP, José Penedos, presidente da Rede Eléctrica Nacional (REN), e o seu filho Paulo Penedos, advogado da empresa SCI-Sociedade Comercial e Industrial de Metalomecânica SA, de Manuel José Godinho.