Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Escândalo DSK

DSK: mulheres manifestam-se em Paris contra machismo

  • 333

Revoltadas com as reações da elite francesa ao escândalo sexual de Dominique Strauss-Khan, organizações feministas convocaram uma concentração para amanhã, em Paris, "contra a impunidade do discurso sexista descomplexado". Clique para visitar o dossiê Escândalo DSK

Daniel Ribeiro, correspondente em Paris (www.expresso.pt)

O filósofo Bernard Henri-Levy considerou o processo e as acusações contra o ex-director do FMI, em Nova Iorque, como "hipócritas". O ex-ministro socialista da cultura, Jack Lang, disse que não via razões para tamanho alarido à volta do escândalo porque não tinha havido "morte de homem". Jean-Marc Ayrault, presidente do grupo parlamentar socialista, afirmou: "não sei se a vitima é a rapariga ou se é DSK". Muitos outros consideraram que, quando muito, DSK apenas teria cometido "uma imprudência de sedutor".

Clique para aceder ao índice do dossiê Escândalo DSK

As associações feministas reagiram de pronto, dizendo-se "encolerizadas e revoltadas". "Sexismo: eles dizem o que pensam, as mulheres pagam" - é este o título do comunicado no qual convocam para amanha, às 17 horas, uma manifestação junto ao centro Pompidou, no coração de Paris.

Revolta atinge o PS

"Não sabemos o que se passou em Nova Iorque, mas sabemos o que se passa em França desde há uma semana, onde assistimos ao regresso de reflexos sexistas e reaccionários numa parte das elites francesas", lê-se no texto assinado pelas associações "Osez le feminisme", "La barbe" e "Paroles de femmes". O comunicado é acompanhado por um abaixo-assinado de 1500 personalidades do jornalismo e da vida cultural e científica francesa.   

"Contra a impunidade do discurso sexista descomplexado" - é outro dos lemas da concentração de amanhã.

A revolta das mulheres francesas atingiu também os partidos franceses, designadamente o Partido Socialista, que tem uma forte tradição feminista (Leia mais na edição de hoje do Expresso).