Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Portugal 2009

Sondagem: Indecisão a dois meses do voto

  • 333

O empate técnico entre os dois maiores partidos (PS e PSD) e a elevada percentagem dos inquiridos que não sabem ou não respondem (22,8%), a dois meses do acto eleitoral são as principais conclusões do Barómetro de Agosto.

Humberto Costa

A elevada percentagem de indecisos no Barómetro de Agosto (22,8% Não Sabem ou Não Respondem), a menos de dois meses das eleições, é um sinal preocupante para os maiores partidos, mais penalizados com a abstenção.

 Outra das conclusões aponta para o empate técnico entre PS e PSD, que volta a repetir-se, mas agora com valores mais próximos dos verificados em Julho. Desta vez O PS, que lidera as intenções de voto, fica apenas a 1,5% (valores em bruto) do PSD. Ambos descem nas intenções de voto, seguindo, de resto, uma tendência apenas quebrada pelo CDS/PP (+1,1%) e pelo BE (+0,4%).

 Com este resultado os pequenos partidos com representação parlamentar assumem maior importância numa solução governativa. Se a direita (PSD e CDS/PP) está longe de um resultado que permita formar governo maioritário, também a esquerda não consegue estabilidade parlamentar apenas com um entendimento a dois, seja PS/BE ou PS/CDU.

Só mesmo uma solução a três (PS, BE e CDU), poderia garantir maioria de deputados. Outra solução seria o bloco central, ainda que contrariada pela tendência dos últimos barómetros.

As melhoras na popularidade do Ministério Público

A Procuradoria-Geral da República e a Magistratura Judicial registam, neste barómetro, uma subida considerável de opiniões positivas por parte dos inquiridos. Para isso podem ter contribuído os recentes desenvolvimentos nos processos BPN e Freeport. Ainda assim continuam com indíces de popularidade negativos, mas mais próximos da avaliação do Governo.

Em matéria de popularidade Cavaco Silva continua a liderar, apesar da quebra registada este mês.

Entre os líderes dos partidos, José Sócrates é o mais bem cotado seguido por Francisco Louçã e Paulo Portas. Mais apreciações positivas do que negativas têm também Jerónimo de Sousa e Manuela Ferreira Leite.

Estudo de Opinião efectuado pela Eurosondagem, S.A. para o Expresso, SIC e Rádio Renascença, de 23 a 28 de Julho de 2009. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores seleccionados e supervisionados, entre as 19 horas e as 22 horas. O Universo é a população com 18 anos ou mais, residente em Portugal Continental e habitando em lares com telefone da rede fixa. A amostra foi estratificada por Região (Norte - 21,5%; A.M. do Porto - 14,3%; Centro - 29,2%; A.M. de Lisboa - 25,2%; Sul - 9,8%), num total de 1.036 entrevistas validadas. Foram efectuadas 1.233 tentativas de entrevistas e, destas, 197 (16,0%) não aceitaram colaborar Estudo de Opinião. Foram validadas 1.036 entrevistas, correspondendo a 84,0% das tentativas realizadas. A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo. Desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (Feminino - 52,9%; Masculino - 47,1%) e, no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos - 21,4%; dos 31 aos 59 - 52,6%; com 60 anos ou mais - 26,0%). O erro máximo da Amostra é de 3,04%, para um grau de probabilidade de 95,0%. Um exemplar deste Estudo de Opinião está depositado na Entidade Reguladora para a Comunicação Social.