Siga-nos

Perfil

Expresso

Dia D de Sócrates

Sócrates: PSD fez "cambalhota política"

O secretário-geral do PS acusou os sociais-democratas de darem uma "cambalhota política" ao admitirem a subida do IVA. (Veja vídeo SIC no final do texto) Clique para visitar o dossiê Dia D de Sócrates

O secretário-geral do PS acusou os sociais-democratas de uma "cambalhota política" em ao admitirem o aumento do IVA.

Clique para aceder ao índice do dossiê Dia D de Sócrates O secretário-geral do PS, José Sócrates, desafiou hoje o PSD a apresentar a sua "alternativa" para cumprir a redução do défice, acusando os sociais-democratas de uma "cambalhota política" em matéria de impostos. "Se o PSD pensa que se escapa a este dilema de ter que apresentar a sua alternativa está muito enganado, porque isso é exigido pelo país, porque isso foi exigido também pela Europa", afirmou José Sócrates, intervindo num encontro com autarcas socialistas. Para o líder socialista, "o desafio que está colocado ao PSD não é apenas o desafio da retórica e do palavreado oco, é o desafio de se comprometer explicitamente perante o país, explicando quais as medidas que são necessárias para que no próximo ano o nosso défice orçamental se reduza de 4,6 para 3% e que em 2013 ele se reduza para 2%".

Recuo nos impostos

"O que lá fora estão à espera é que para defender Portugal e para defender a Europa, o maior partido da oposição, que insistiu em criar uma crise política, diga quais as medidas com que se compromete para atingir os objetivos orçamentais e não apenas  dizer que está de acordo com os objetivos", argumentou. Sócrates afirmou que, "não se passaram 48 horas" após o chumbo do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), para que o PSD viesse admitir que "a resposta ao para o desequilíbrio orçamental passa por aumentar os impostos". "Isto é absolutamente espantoso, a isto se chama em política, uma cambalhota", acusou.

Ideias do PSD são "vagas"

"A cambalhota não é apenas com o aumento dos impostos, é com o aumento do IVA. Desculpem, não foi a liderança do PSD que explicou aos portugueses que o IVA não pode ser aumentando porque se trata de um imposto cego, injusto, que causaria recessão?", questionou. Segundo Sócrates, reeleito esta madrugada líder do PS, se as ideias do PSD "não são vagas", como "alguns dizem", então, incluem-se numa "agenda escondida de um conjunto de propostas que não são reveladas por uma única razão, têm medo das consequências  eleitorais dessas propostas e dessas ideias". Sócrates acusou o PSD de "dizer ao país uma coisa e lá fora outra". "Não se pode chumbar o PEC aqui e lá fora andar a dizer que se está de acordo com os objetivos do PEC, porque isso é apenas um exercício de duplicidade politicamente absolutamente inaceitável", afirmou. "Cá dentro chumbam o PEC, lá fora, dizem não só que têm outras medidas como são precisas mais medidas. Cá dentro chumbam o PEC, não querem aumento de impostos, imediatamente a seguir dizem que querem aumento de impostos", declarou.