Siga-nos

Perfil

Expresso

Futuro Sustentável 2010

Investir para travar a pobreza

Francisco Balsemão (Expresso) e Ricardo Salgado (BES) apostam no papel das empresas na luta contra a pobreza e a precaridade social e económica em Portugal.

Lutar contra a pobreza é uma prioridade do Grupo Impresa - proprietário do Expresso - e do BES, parceiros no Programa Futuro Sustentável. Francisco Pinto Balsemão, presidente da Impresa, destaca, além do Mês do Desenvolvimento Sustentável que está a decorrer no Expresso, as iniciativas da SIC Esperança, que tem parcerias com o Instituto da Segurança Social e a Comissão de Trabalho do Ano Europeu de Combate à Pobreza e à Exclusão Social, "com o intuito de desenvolver projectos que contribuam eficazmente para a resolução destes problemas".

Por outro lado, "a SIC Esperança irá desenvolver projectos em associação com o Rock in Rio 2010" e Pinto Balsemão sublinha também que o Prémio Mulher Activa, da revista "Activa", "distingue as personalidades femininas que mais se destacam na acção social".

O presidente do BES, Ricardo Salgado, destaca que, "no domínio do combate à precaridade social e económica, temos uma actuação que passa pela incorporação deste tema na actividade principal do banco". Com efeito, o BES tem desenvolvido "uma estratégia de afirmação como o 'Banco da Economia Social', com uma aposta forte na presença junto do terceiro sector através de uma oferta comercial customizada e da prestação de serviços especializados a quem, no terreno, presta um valiosíssimo serviço à comunidade", como as ONG e as instituições particulares de solidariedade social (IPSS).

Devido ao aumento do desemprego, o BES alargou (em 2009) a sua rede autónoma de gestores de microcrédito e participou no projecto Igreja Solidária com o Patriarcado de Lisboa, que tem como objectivo "acompanhar personalizadamente o financiamento dos projectos de novos empreendedores", explica Ricardo Salgado, "possibilitando a integração na vida profissional a quem não tem garantias reais para solicitar um crédito tradicional à banca". E é neste contexto que o BES tem o estatuto de mecenas principal do Banco de Bens Doados (organização ligada ao Banco Alimentar contra a Fome).

Noutras áreas, Pinto Balsemão recorda que o Grupo Impresa criou um Comité de Sustentabilidade "que tem aplicado políticas internas de desenvolvimento sustentável, tanto na sua componente ambiental (optimização do uso da água e energia, certificações ambientais dos fornecedores de papel, sistema de carpooling), como social (acções de solidariedade social)". E há ainda iniciativas editoriais como a "Visão Verde", edição da revista "Visão" integrada em mês dedicado ao tema.

Na biodiversidade, Ricardo Salgado diz que "o BES é a única instituição financeira portuguesa com uma estratégia formalizada de apoio à biodiversidade e preservação das espécies", e os projectos na Herdade da Poupa (Tejo Internacional) e na Reserva Brava (Trás-os-Montes) "são exemplos claros de apoio a intervenções no terreno". O banco "foi a primeira empresa nacional a assinar a declaração europeia Business & Biodiversity e lançou o cartão de crédito BES/WWF, cujas receitas revertem para projectos da organização ambientalista em Portugal".