Siga-nos

Perfil

Expresso

Mês do ambiente do Expresso 2011

Passar as férias à procura de pássaros

Turismo. O número de observadores de aves em Portugal não para de crescer. E as autoridades de turismo perceberam que é um sector bom para investir e ganhar receitas.

Carla Tomás (www.expresso.pt)

Com uns binóculos quase maiores do que a cara, Clara prepara-se para, aos seis anos, observar aves pela primeira vez. Com a ajuda da mãe, foca as lentes e prepara-se para uma aula de ornitologia ao vivo e a cores, junto ao Estuário do Tejo, no Parque das Nações.

Ao longe vislumbra flamingos pousados na margem. Em cima de uma das boias, no meio do rio, avistam-se dois corvos marinhos atentos a um banquete de tainhas. Do lado de terra, um falcão-peregrino sobrevoa o jardim. No espaço de uma hora apareceram 15 espécies diferentes das mais de 100 que vivem ou passam pelo estuário do Tejo em migração.

"Esta é uma forma de, fora das quatro paredes da escola, despertar a curiosidade da Clara para a ciência", explica a mãe, Estela. Outras famílias tiraram a tarde de um sábado de setembro para a descoberta de uma nova atividade de lazer perto de casa. Organizada pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), no âmbito do programa Ciência Viva, o projeto pretende dar a conhecer esta associação e estimular o bichinho de futuros birdwatchers numa tarde "De Olho nas Aves". Clara, como outras crianças que experimentaram um novo olhar sobre a natureza, poderá converter-se numa curiosa da ornitologia, uma atividade que em Portugal já conta com cerca de cinco mil aficionados e que atrai cada vez mais estrangeiros em busca de novas espécies e hot spots para observá-las.

Só na Europa, estima-se que 9% do total de viagens de lazer estão ligadas ao turismo ecológico. O Turismo de Portugal não tem estatísticas nacionais, mas indica que existirão pelo menos "22 milhões de viagens na Europa" relacionadas com estas atividades. Juntamente com o Turismo do Algarve e o dos Açores, esta entidade já participou na maior feira da especialidade que ocorre na Europa, a British Bird Fair, em Inglaterra, e editou o "Roteiro de Turismo da Natureza: Observação de Aves em Portugal", que será lançado na Observanatura (ver caixa).

O alfaiate é uma das 200 espécies que passam pelos estuários do Tejo e do Sado

O alfaiate é uma das 200 espécies que passam pelos estuários do Tejo e do Sado

Faísca

Apesar do Plano Estratégico Nacional de Turismo (PENT) não contemplar este nicho de mercado, as autoridades de turismo, designadamente as de Portugal, do Algarve e dos Açores estão cada vez mais atentas a este sector que pode atrair visitantes fora da época de sol e mar. "Este é um turismo de classe média e alta que se movimenta por diversos países para ver espécies diferentes, em diferentes épocas do ano", explica João Carlos Farinha, diretor do Departamento de Gestão de Áreas Classificadas do Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade.

Por cá, estão delimitados 94 sítios com interesse para a conservação de aves à escala global. Só no Algarve 44% do território está classificado como Rede Natura 2000 e inclui dois parques naturais e 11 zonas de proteção especial para aves.

Daí que António Almeida Pires, vice-presidente do Turismo do Algarve, não tenha dúvidas quanto a uma "aposta no turismo de nichos", e lembra que o mercado anglo-saxónico, (metade dos turistas que visitam o Algarve) "está em queda". Segundo este responsável, só em Inglaterra existem um milhão de birdwatchers e 40% dos turistas alemães viajam pelo gosto pela natureza e pelas atividades desportivas. A aposta no turismo ornitológico está em curso. Em parceria com a SPEA, a Almargem e algumas autarquias algarvias, foram requalificadas estruturas de observação nas áreas protegidas e editado um guia com as aves mais emblemáticas da região, como o abelharuco, o caimão ou a chilreta.

"Este é um tema que pode chamar turistas de qualidade e levar o cidadão nacional e estrangeiro a olhar para as áreas protegidas como locais a preservar", defende Domingos Leitão. O dirigente da SPEA acredita que as autoridades nacionais "deixarão de ser meras agências de turismo para defender a qualidade ambiental e o ordenamento do território".

II Festival de observação de aves de Sagres

De 30 de setembro a 2 de outubro, o Município de Vila do Bispo, em parceria com a associação Almargem e a SPEA, organiza em Sagres, no Algarve, uma feira com palestras, cursos, tertúlias, passeios a pé e de barco, anilhagem e monitorização de aves com especialistas, num dos hot spots nacionais. Ali podem ser observadas mais de 190 espécies em migração outonal. A organização espera receber mil participantes.

Observanatura 2011

Entre 8 e 9 de outubro, pelo terceiro ano consecutivo, o Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade, em parceria com o Turismo de Portugal, a Câmara de Setúbal, a SPEA e a Birds&Nature, organiza uma feira na Reserva Natural do Estuário do Sado, em Setúbal. Conta com a participação de especialistas nacionais e estrangeiros e a presença de mais de mil visitantes para ouvir os sons da natureza, tirar fotografias, identificar espécies, anilhar aves e degustar ostras e vinhos da região.

330

espécies diferentes de aves residem ou pousam no território nacional durante as rotas migratórias. Existem 10 mil no mundo observadores de aves em Portugal.

5000

é o número estimado pela SPEA que conta com cerca de 3000 sócios. No mundo estimam-se 100 milhões de birdwatchers

Texto publicado na edição do Expresso de 24 de setembro de 2011